Geral

  • Geral
    12/10/2017 16:10:21 Postado por Jonas Vieira

    Tabela indica 323 crianças e adolescentes aptos a adoção no RS




Projeto criado com o objetivo de possibilitar a busca ativa de crianças e adolescentes aptos a adoção no estado, o Busca Se(R) traz hoje dados atualizados de 323 crianças e adolescentes. As informações constam em uma tabela, disponível na página da Infância e Juventude, dentro do site do TJRS, atualizada mensalmente, no dia 10. Com a identificação preservada (constam as iniciais dos nomes) é possível obter informações básicas como idade, sexo, raça e situação jurídica dos jovens que buscam por uma família e um lar definitivo.
 

Desde o início do projeto, em dezembro do ano passado, 61 pretendentes manifestaram interesse em saber um pouco mais sobre o perfil dos jovens incluídos na tabela. Desses, já se concretizaram duas adoções, dez estão em estágio de convivência e dois em aproximação.
 

A proposta
 

O Busca Se(R) faz parte de uma série de iniciativas da Coordenadoria Estadual da Infância e Juventude, que integram a campanha ¿Deixa o Amor te surpreender¿, lançada há 1 ano. O objetivo é ampliar as possibilidades de adoções de difícil colocação, através da flexibilização do perfil desejado pelos pretendentes.  
 

O projeto é executado pela CIJRS, em parceria com os magistrados da Infância e Juventude e suas equipes. O magistrado determina a remessa dos dados básicos do jovem para inscrição no projeto, certificando que não foram localizados pretendentes compatíveis ao perfil no Cadastro Nacional de Adoção (CNA). As informações passam a constar na tabela disponível no site do JIJ. O envio dos dados pelos magistrados à CIJRS pode ocorrer a qualquer tempo.
 

Contato
 

O contato inicial dos interessados na adoção destas crianças/adolescentes é feito através da equipe da CIJRS, através do email [email protected]. A Coordenadoria verificará se a pessoa é habilitada para adoção e, em caso positivo, será encaminhado o seu contato para a Comarca de origem da criança ou adolescente proceder as demais avaliações e procedimentos. Caso o interessado não seja habilitado, receberá as orientações para encaminhar seu processo de habilitação, na comarca de residência.


Fonte: TJ/RS