Politica

  • Politica
    06/12/2017 23:12:18 Postado por Keller Duarte Steglich

    Assembleia aprova contas de Tarso de 2014




Em votação praticamente sem nenhuma polêmica, foram aprovadas por ampla maioria dos parlamentares a prestação das contas do último ano (2014) da administração do Governo Tarso Genro. A votação ocorreu nesta quarta-feira (6), no Plenário da Assembleia Legislativa, e seguiu a mesma linha do que já havia ocorrido na avaliação feita pelo Tribunal de Contas do Estado (TCE), quando, por unanimidade, o Pleno daquele tribunal havia aprovado as mesmas contas.

Na tribuna, o deputado Tarcísio Zimmermann (PT) resgatou o voto do conselheiro Algir Lorenzon e dos demais conselheiros do Tribunal de Contas do Estado que “aprovaram as contas de Tarso integralmente, provavelmente, porque fizeram um exame muito mais apurado do que alguns deputados que ocuparam a tribuna da Assembleia Legislativa para defender a reprovação.”

Orçamento 2018

Com votos contrários da Bancada do PT e de outros partidos de oposição ao governo Sartori, também foi votado nesta quarta-feira o Orçamento do Estado para o próximo ano. A proposta, considerada por parlamentares do PT como uma peça de ficção apresentado pelo governo recebeu 26 votos favoráveis e 14 contrários.


O deputado Tarcísio Zimmermann disse que o orçamento encaminhado pelo governador Sartori “é uma grande peça de ficção, porque apresenta um déficit que obviamente não será alcançado, de R$ 6, 8 bilhões”. A proposta, de acordo com Tarcísio, também traz uma receita extraordinária, de “origem divina”, para cobrir esse déficit. “Estão enganando o povo do RS, dizendo que pagarão essa dívida. Não pagarão! E falam (governo) que terão um déficit que não existe e uma receita extraordinária que, se depender da gana com que Sartori e sua equipe trabalham para construir alternativas para as finanças públicas, é um ato de fé extrema.”

Gestão Tarso

O balanço das contas do Governo Tarso referente aos anos de 2011, 2012 e 2013, também, havia sido aprovado por unanimidade pelo TCE. O Tribunal justificou que, em 2014, reconheceu o esforço da gestão Tarso Genro no enfrentamento das dificuldades financeiras e o verdadeiro empenho realizado para o atingimento dos percentuais constitucionais em Saúde, por exemplo. O RS passou de uma aplicação de 7,92% da Receita Líquida de Impostos e Transferências (RLIT), no último ano do Governo Yeda, para os 12,72% alcançados em 2014.

Para além dos números na Saúde, na gestão Tarso houve crescimento real do ICMS em todos os anos da administração – crescimento acima da inflação em 18,6% nos quatro anos de Governo, em relação aos quatro anos do Governo Yeda. Na Educação, durante o Governo Tarso, foram aplicados R$ 7 bilhões a mais (em termos reais) do que o governo anterior, com reajuste de 76,68% do Básico A1 do magistério estadual, cerca de 50 pontos percentuais acima da inflação do período. Em Segurança Pública, o Governo Tarso aplicou uma política de reaparelhamento e de recuperação salarial dos servidores. O Soldado da BM recebeu 104% de reajuste em sua remuneração inicial, nos quatro anos do Governo Tarso.

 


Fonte: Assembleia Legislativa/RS