Busca rápidaX

ACI estima queda de 7% a 15% no faturamento das empresas de Ijuí durante a pandemia

27 de agosto de 2020

A reforma tributária proposta pelo governo do Estado, e que está em análise pela Assembleia Legislativa, trata-se exclusivamente de aumento de impostos. A afirmação é do presidente da Associação Comercial e Industrial de Ijuí, Nilo Leal da Silva. Segundo ele, a proposta é prejudicial porque eleva tributos sobre produtos e serviços importantes, desde alimentos até a cesta de medicamentos no Estado. Segundo ele, a ACI, em conjunto com a Federasul, enviou comunicação aos deputados estaduais, para demonstrar a contrariedade à proposta.

Em entrevista na RPI na manhã de hoje, Nilo Leal falou também sobre a extensão da crise econômica para as empresas de Ijuí. Embora as vendas estejam em crescimento na comparação com os meses anteriores, e até vagas de emprego surjam neste momento, o líder empresarial aponta que o fenômeno é um represamento da demanda ocorrido durante os primeiros meses da pandemia. “Esta retomada que estamos observando na questão do emprego, nada mais é do que a retomada das vagas das pessoas que foram dispensadas entre março e junho. Como a economia teve um leve reaquecimento, a partir também do crescimento dos preços agrícolas, tivemos esse reflexo no emprego, mas não são vagas novas, não podemos nos enganar”, resumiu Nilo Leal. Dados obtidos pela ACI apontam que a retração nas vendas no primeiro semestre ficou entre 7% e 15%, a depender do segmento. Essa, inclusive, deverá ser a tônica do ano na economia ijuiense. O adiamento da Expo-Ijuí/Fenadi para 2021 contribui para o cenário de perdas já que, segundo Nilo Leal, 75% do volume de negócios da feira vem de fora da cidade. Ou seja, o fluxo de recursos externos na economia local vai diminuir.

Compartilhar
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
Fonte: Rádio Progresso de Ijuí.
error: Conteúdo protegido!