Busca rápidaX

MANCHETES

Acusada de matar filho em Planalto seguirá presa preventivamente

13 de outubro de 2020

Alexandra Salete Dougokenski, acusada pela morte do filho, Rafael Mateus Winques, de 11 anos, no município de Planalto, seguirá presa preventivamente. A decisão pela manutenção do recolhimento da ré na Penitenciária Municipal de Guaíba é da Juíza de Direito Marilene Parizotto Campagna, da comarca local.

O despacho, assinado ontem, atende a determinação legal (artigo 316 do Código de Processo Penal) de revisão das prisões preventivas a cada 90 dias. A defesa também apresentou pedido de soltura na semana passada (https://www.tjrs.jus.br/novo/noticia/caso-rafael-suspensa-audiencia-que-teria-delegado-como-testemunha/).

“Em que pesem as relevantes alegações da parte autora, até o momento não aportou aos autos elementos fáticos aptos a infirmar a decisão que decretou a prisão preventiva da acusada”, resumiu a magistrada. A conversão da prisão de Alexandra de temporária em preventiva ocorreu em 13/7.

O caso

Rafael Winques desapareceu em 15/5. O corpo foi encontrado 10 dias depois, em uma caixa de papelão colocada no terreno da casa vizinha onde vivia com a mãe. A causa da morte indicada pela perícia foi asfixia mecânica, provocada por estrangulamento.

A denúncia contra Alexandra – que confessou à polícia a autoria do assassinato – foi recebida pela Justiça em 13/7. Ela responde por homicídio qualificado e outros três crimes conexos – ocultação de cadáver, falsidade ideológica e fraude processual.

Compartilhar
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
Fonte: Rádio Progresso de Ijuí e TJ/RS
error: Conteúdo protegido!