Busca rápidaX

Andrei Cossetin detalha investimentos caso empréstimo de R$35 milhões seja aprovado na Câmara

8 de novembro de 2021
Moeda Nacional, Real, Dinheiro, notas de real

A gestão de Andrei Cossetin está buscando a contratação de empréstimo junto à Caixa Econômica Federal, no valor de R$35 milhões. Considerada pela oposição como uma operação de risco financeiro ao município, o tema motivou a realização de uma audiência pública. A contratação, no entanto, ainda não foi votada na Câmara de Vereadores. A tendência é que os vereadores aprovem a solicitação do prefeito.

Em entrevista à Rádio Progresso, o prefeito explicou como o valor será investido, caso aprovado e reforçou que a contratação do valor não implica em aumento de impostos. “É importante esclarecer que o empréstimo não vai representar aumento de impostos, de maneira alguma. O que queremos é devolver os impostos pagos pelos contribuintes, através de soluções definitivas para problemas históricos em nosso município”, pontuou o prefeito, que acrescentou a necessidade de soluções especialmente para problemas com iluminação pública e pavimentação. 

INVESTIMENTOS

Cossetin explicou que o objetivo principal é investir os R$35 milhões em três diferentes eixos: infraestrutura urbana e rural; iluminação pública e aquisição de maquinários. “Vamos investir R$10 milhões na troca da iluminação pública, por lâmpadas de LED, que representam economia de energia. Só no ano passado, foram gastos R$800 mil na compra de lâmpadas, R$400 mil para manutenção e mais de R$2 milhões na conta de energia. Como a bandeira tarifária é outra e a energia aumentou, a estimativa de gasto com luz é ainda maior para este ano, de aproximadamente R$3 milhões”, explicou.

O prefeito estima que com a troca das lâmpadas por equipamentos de LED, o executivo vai economizar, além do gasto com energia, com a manutenção e troca do material. Com a operação, Cossetin estima, inclusive, reduzir o valor da taxa de iluminação pública no município. 

Além disso, Andrei Cossetin pretende investir R$10 milhões em melhorias na zona urbana do município, com troca de asfaltos que, -segundo ele-, não comportam mais ações tapa-buracos. “Muitos asfaltos já estão vencidos, não aguentam mais tapa-buracos, estão se deteriorando. Nesses casos, um investimento definitivo e não paliativo, resolve o problema”, pontuou. 

Outros R$10 milhões devem ser investidos na zona rural do município, com melhorias em estradas, cruciais para o escoamento da produção. Além disso, Andrei Cossetin pretende investir em ações de preservação do meio ambiente e conscientização da população. Quanto ao lixo, por exemplo, ele explicou que o município está fazendo o planejamento para o próximo ano. “A partir do ano que vem, começaremos a executar nosso planejamento, já que agora estamos trabalhando com o orçamento da gestão anterior”. 

Dentre as alternativas encontradas pelo executivo para solucionar problemas como o do lixo, Andrei explicou que o executivo está licitando carretas de 25m³, que serão disponibilizadas à população, com rotatividade entre os bairros. “Essas carretas vão circular entre os bairros, de maneira aleatória, para recolher o lixo, como sofás, camas e materiais grandes que hoje a população não sabe onde descartar”, pontuou.

Os outros R$5 milhões devem ser investidos na compra de maquinário próprio, o que segundo Cossetin, vai reduzir os custos com contratação de empresas terceirizadas. “Vamos investir em maquinários próprios e novos, o que vai diminuir o gasto além do pagamento a terceirizados, mas também com a manutenção dos equipamentos”, pontuou. 

Cossetin reafirmou que Ijuí tem uma “excelente capacidade de pagamento” e que o empréstimo, embora seja de um alto valor, não oferece riscos para os cofres públicos. “A equipe da prefeitura, qualificada e técnica, ajudou a montar o projeto. A taxa de juros bancários está muito baixa e é extremamente viável o pagamento. Recursos que foram buscados na gestão passada, por exemplo, estão sendo pagos por nós, recursos necessários e importantes, não estamos reclamando disso. Muito pelo contrário, queremos explicar que toda a operação bancária implica em juros, mas que o município vai conseguir pagar sim”, finalizou. 

Compartilhar
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
Fonte: Rádio Progresso de Ijuí
error: Conteúdo protegido!