Busca rápidaX

Aneel aprova aumento nas contas de energia elétrica para a Ceriluz e mais seis cooperativas gaúchas

25 de julho de 2019

A diretoria da Agência Nacional de Energia Elétrica aprovou, terça-feira, 23, o reajuste tarifário de 11 cooperativas do Rio Grande do Sul e do Paraná. Entre elas está a Ceriluz, que a partir da próxima terça-feira, 30, vai ter que aplicar reajuste médio de 16,06% nas contas de luz.

Para os consumidores de alta tensão, ou seja, consumidores industriais e comerciais, o aumento vai ser de 12,89%. Já para a baixa tensão, referente a associados rurais, residenciais urbanos, comerciais e alguns industriais, também da Ceriluz, o acréscimo vai ser de 19,74%.

Além da Ceriluz, a Aneel aprovou reajuste tarifário para outras seis cooperativas do Rio Grande do Sul. Em todos os casos, as novas tarifas passam a vigorar terça-feira que vem. Para Cermissões, com sede em Caibaté, o aumento médio nas contas de luz vai ser de 21,45%. Consumidores industriais e comerciais terão aumento de 17,52%, e de baixa tensão, 22,83%.

Para a Certel, sediada em Teutônia, foi aprovado reajuste médio de 10%, com acréscimo de 8,56% para a alta tensão e 10,81% para a baixa tensão. Já para a Cooperluz, com sede em Santa Rosa, o aumento médio nas contas de luz vai ser de 17,54%, com reajuste de 9,42% para a alta tensão, e 18,42% para consumidores residenciais rurais e urbanos, além de outros que se enquadram nesse segmento.

Para a Coprel, sediada em Ibirubá, a Aneel aprovou elevação média de 13,41% nas tarifas de luz, com 11,50% para a alta tensão e 15,07% destinado à baixa tensão. Quem também vai ter aumento nas contas de luz serão os consumidores da Creral, com sede em Erechim. O aumento médio vai ser de 15,65%, com 13,97% para alta tensão e 17,28% para a baixa tensão.

Já para a Certhil, sediada em Três de Maio, a partir da próxima terça-feira haverá acréscimo médio de 10% nas tarifas de luz, com 7,70% para a alta tensão e 13,19% para a baixa tensão. Para a Creluz, com sede no município gaúcho de Pinhal, o aumento médio aprovado para a Aneel vai ser de 13,74%. Os associados de baixa tensão terão acréscimo de 14,81% e de alta tensão, 9,64%.

Ao calcular o reajuste, conforme estabelecido no contrato de concessão, a Aneel considera a variação de custos associados à prestação do serviço. O cálculo leva em conta a aquisição e a transmissão de energia elétrica, bem como os encargos setoriais.

Compartilhar
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
Fonte: Rádio Progresso de Ijuí

Acompanhe nas Redes

by @TwitterDev
error: Conteúdo protegido!