Busca rápidaX

Apesar da instabilidade causada pela pandemia, setor leiteiro está otimista e movimenta R$ 6 milhões mensais em Ijuí

24 de junho de 2020
Foto: Bruna Karpinski / Conseleite

Após longo período de estiagem que atingiu diversos setores do agronegócio, produtores de leite comemoram a alta nos preços e o retorno da oferta de forrageiras de boa qualidade, o que resulta em retorno aos patamares normais de produção.

Conforme Oldemar Heck Weiller, médico veterinário, assistente técnico regional da Emater de Ijuí, os produtores passaram por um período crítico causado pela falta de chuva que comprometeu as lavouras de milho e reduziu as pastagens.

Apesar desse problema já ter sido superado, ainda há instabilidade no mercado, em função da incerteza em relação à evolução da pandemia.

Darlan Pagliarini secretário executivo do Sindilat, sindicato da indústria de laticínios e derivados afirma que no início da pandemia houve uma corrida aos supermercados em busca de leite. Em 12 dias foram comercializados o equivalente a média de 2 meses. No entanto, hoje esse mercado já é considerado regulado e o cenário, conforme ele, é positivo e calmo, levando em consideração que a produção está dentro do que é consumido.

Atualmente a cadeia do leite movimenta grande volume financeiro na região de Ijuí. Conforme levantamento da Emater, nos 44 municípios que compõe o regional aproximadamente 8 mil 400 produtores trabalham com vacas de leite. Somente em Ijuí são 480 trabalhadores rurais que possuem 8 mil e 200 animais.

A produção da região no último ano foi de 790 mil toneladas de leite. Ijuí produz anualmente 60 mil toneladas do alimento. A média diária, conforme Oldemar, é 2 mil 160 toneladas de leite por dia. Ijuí produz 165 mil litros diariamente.

Sobre preços, Darlan e Oldemar concordam que há uma tendência de aumento ao valor pago para o produtor rural. O Conselho Paritário Produtores/Indústrias de Leite do Estado do Rio Grande do Sul (Conseleite/RS) indicou recuperação no valor de referência do leite em junho. Segundo dados divulgados ontem (23), a projeção para o litro considerando os primeiros dez dias do mês é de R$ 1,3721, 8,63% acima do consolidado de maio (R$ 1,2630).  O veterinário da Emater afirma que o preço médio do Cepea, Centro de Estudos Avançados em Economia Aplicada, está hoje em R$1,38 por litro. A partir desse preço, estima-se  uma entrada de receitas em Ijuí ao redor de R$ 6 milhões 831 mil mensalmente. Na região, o leite movimenta R$89 milhões e 400 mil por mês. “Isso mostra a relevância da atividade leiteira na região” ressalta Oldemar Weiller.

Ainda em relação à pandemia, o Sindilat percebe que não há surtos de coronavírus em plantas de indústrias de laticínios até o momento e que todas as medidas de proteção e de higiene foram adotadas no estado. O sindicato reforça ainda que não houve nenhuma interdição de plantas, em virtude da doença, diferente do que aconteceu em alguns frigoríficos.

Compartilhar
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
Fonte: Rádio Progresso de Ijuí com informações da Emater, Sindilat e Conseleite
error: Conteúdo protegido!