Busca rápidaX

Apicultura e cultura da soja são temas de debate na RPI

10 de janeiro de 2019

   O programa Rádio Ligado da rádio Progresso, promoveu, nesta Quinta Feira(10) um debate entre agricultores e apicultores, além da participação do ministério público, para discorrer sobre a mortandade de abelhas que vem ocorrendo no interior do município. O tema veio a tona, após grande repercussão da reportagem produzida, ontem(09) pela RPI, onde mostrou que um apicultor teve grandes prejuízos em decorrência do extermínio de colmeias inteiras de abelhas. 

Produtor registra morte de milhares abelhas no interior de Ijuí

   Participaram do debate o Apicultor Rogério Manchini, o Presidente do Sindicato Rural de Ijuí Ércio Eickhoff, Presidente da associação dos Apicultores de Ijuí Aldair Cossetim e o Promotor Público Nilton Kasting. 

   Durante o programa diversos problemas, principalmente envolvendo agrotóxicos foram colocados. Para o apicultor Rogério Manchini é necessário que o produtor de soja tenha responsabilidade na hora da aplicação de defensivos, e, siga corretamente os termos de uso dos produtos, pois, segundo ele, este é o principal fator de mortandade das abelhas. “Tive um prejuízo de R$30mil, contabilizando somente a perda da produção de mel” disse o apicultor. 

   O Dr. Nilton Kasting lembrou que a legislação prevê, além de multa, prisão dos responsáveis pela utilização sem seguir os dados técnicos. Para o promotor, a terra da região de Ijuí está totalmente contaminada, para manter a monocultura da Soja a qualquer custo. “Nós recebemos diversas denúncias sobre aplicação incorreta dos agrotóxicos, mas, o que realmente falta é a conscientização do produtor rural” disse Nilton Kasting. Em sua tese, as empresas revendedoras destes produtos repassam a receita correta de aplicação, basta que o produtor siga. 

   Já o Presidente do Sindicato Rural Ércio Eickhoff salientou que não se pode, ainda, garantir que é o agrotóxico o motivo do extermínio das abelhas. Segundo ele, é necessário uma análise técnica sobre o ocorrido para chegar ao principal princípio ativo que causou as mortes de abelhas. “Agente sabe que as abelhas podem morrer de qualquer outra coisa, até de fome, então uma análise técnica é importante neste caso” disse o presidente. Ércio Eickhoff salientou ainda que o sindicato defende qualquer produtor, e neste sentido, deve-se procurar um meio termo, para que ninguém saia prejudicado. 

   Aldair Cossetim, presidente da associação dos apicultores de Ijuí foi além, em sua fala, disse que os agrotóxicos utilizados na região de Ijuí são, em partes, contrabandeados de outros países que não se tem nenhum tipo de controle sobre os produtos. “Agente sabe, não podemos fechar os olhos para isso” destacou Cossetim. Segundo ele, a situação é preocupante, pois, muitos apicultores estão procurando outras regiões do estado para manter a produção de mel. Cossetim disse ainda que o Brasil é o maior exportador do produto, e ninguém produz mel com tanta qualidade como no Brasil, devido a diversidade ambiental. 

   O debate serviu para alertar os produtores, tanto da Soja, quanto apicultores,que existem práticas que não prejudiquem nenhuma cultura. A concordância geral é que empresas revendedoras e produtores devem respeitar a receita agronômica, assim, poderá ficar mantida a qualidade de produção de ambas as partes. 

Compartilhar
  • 30
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
    30
    Shares
Fonte: Rádio Progresso de Ijuí

Acompanhe nas Redes

by @TwitterDev
error: Conteúdo protegido !!!