Busca rápidaX

MANCHETES

Ataque de abelhas mata pecuarista no Interior de Alegrete

26 de janeiro de 2019

Pecuarista de 83 anos sofreu um impiedoso ataque de um enxames de abelhas, durante uma lide campeira, no último sábado do ano de 2018. Ele chegou a ser socorrido e ficou internado na UTI da Santa Casa de Alegrete, mas devido a complicações veio a falecer.

Octalencio Rodrigues Ribeiro estava na companhia de dois filhos e mais dois homens. “Não teve como mensurar a quantidade de picadas, foram dezenas” relatou a sobrinha Marizete Ribeiro.

A informação foi de que o idoso e os filhos estavam passando perto de uma sanga, o trabalho naquela manhã seria para banhar o gado, quando um enxame de abelhas os atacaram. Os filhos e o outros dois homens também foram picados. Porém, o pecuarista foi o mais atingido. Os filhos o teriam colocado dentro d’água para tentar expulsar o enxame, ainda assim, as abelhas permaneciam no local.

Em carro particular o idoso chegou à Santa Casa pouco tempo depois do ataque. O incidente aconteceu na propriedade da família, localizada no Lageado Grande, cerca de 35Km da cidade.

Marizete ressaltou que o tio era uma pessoa muito saudável, que apesar da idade estava sempre ativo. Foi um grande choque para toda família.

O caso, apesar de ter passado mais de 20 dias, serve como um alerta a todas as pessoas que residem no interior ou na cidade. No ano passado também houve o incidente numa escola no Polo do Silvestre. Os 42 alunos haviam acabado de almoçar e saíram do refeitório para o recreio, quando começou uma gritaria.

As abelhas invadiram e atacaram um grupo de 15 crianças que buscou abrigo dentro de um ônibus. Um professor viu e saiu correndo com inseticida, porque não tinha o que fazer e as crianças gritavam e choravam muito. O único aluno alérgico a picadas de inseto naquele dia não havia ido à aula.

Cuidados
 
O orientação das autoridades para quem localiza enxames de abelhas ou sofre ataques é acionar o Corpo de Bombeiros por meio do número 193. 

Para evitar os ataques, os bombeiros orientam que a população mantenha distância de colmeias. Mas, se as abelhas se aproximarem, é fundamental proteger a face e a região da cabeça, com a camisa ou um pano.

Também é recomendado evitar gritar ou fazer movimentos bruscos, já que ruídos e movimentações agitam ainda mais esses insetos.

Compartilhar
  • 159
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
    159
    Shares
Fonte: Flaviane Antolini Favero/Portal Alegretudo. Foto: Arquivo pessoal.
error: Conteúdo protegido!