Busca rápidaX

Atingidos pela estiagem, agricultores da região precisam ficar atentos à prorrogação de dívidas

27 de abril de 2020

Para reduzir o prejuízo causado pela estiagem, agricultores e entidades ligadas ao meio rural se mobilizam para prorrogação de financiamentos. Em relação à soja, por exemplo, a colheita, praticamente finalizada, vai fechar numa média de 37 sacas por hectare dentre os 44 municípios do escritório regional da Emater, com sede em Ijuí. Porém, em alguns municípios da região do Alto Jacuí o rendimento ficou bem mais baixo.

Em Fortaleza dos Valos, por exemplo, há produtores que colheram cerca de 12 sacas de soja por hectare. No município de Ijuí, a safra vai ficar com média ao redor de 33 sacas. Mas o problema vai mais longe. Isso porque, também há sérios prejuízos com o milho e produção leiteira.

Em Ijuí, os cerca de dois mil e 500 hectares de milho de segunda safra estão totalmente perdidos devido à seca. Havia mil e 800 hectares para silagem e o restante para grão. Se os agricultores arriscarem colher o milho safrinha, a produtividade não deve ultrapassar 20 sacas por hectare.

O agrônomo da Emater, João Buratti, afirma que no momento já deveria ter pastagem para alimentação dos animais, porém, não é o que acontece. Segundo ele, as pastagens que germinaram ou em germinação, sofrem bastante com a falta de chuva ou estão morrendo.

O agrônomo considera que a região de Ijuí sofre uma espécie de segunda estiagem no mesmo período, pois em situações semelhantes em anos anteriores, dificilmente a falta de chuva persistia no mês de abril.

Na localidade de Rincão dos Fabrim, por exemplo, o poço artesiano da associação de moradores já secou. Já no município de Jóia, o cálculo indica prejuízo de, no mínimo, 253 milhões de reais em razão da estiagem. No tocante à safra de soja desse ano, a maior parte de Jóia registrou produtividade de 15 a 20 sacas por hectare. 

A tesoureira do Sindicato dos Trabalhadores Rurais de Ijuí e segunda vice-presidente da Fetag, Elizete Hintz, ressalta que nos municípios em que as prefeituras decretaram situação de emergência em razão da estiagem e houve reconhecimento por parte do governo estadual ou da União, já existe garantia de prorrogação de financiamentos.

Esse são os casos, por exemplo, de Augusto Pestana, Jóia e Ajuricaba. No entanto, em relação aos agricultores familiares, esses precisam comparecer nos Sindicatos dos Trabalhadores Rurais para fazer o pedido dessa extensão de prazo para quitação.

Já em municípios onde ainda não ocorreu reconhecimento da emergência, por exemplo, Ijuí e Coronel Barros, é possível que os pequenos produtores se adiantem e façam requisição pelo MCR – Manual de Crédito Rural.

Elizete Hintz alerta que os agricultores precisam encaminhar solicitação de prorrogação de financiamentos da safra de verão 2019/2020 o quanto antes, pois a prorrogação só vale para quem pedir antes do vencimento das parcelas.

A parcela desse ano do financiamento para investimento pode ser prorrogada para o fim do contrato. Já em relação aos custeios das lavouras, estes podem ser divididos para quitação em sete anos.

Compartilhar
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
Fonte: Rádio Progresso de Ijuí
error: Conteúdo protegido!