Busca rápidaX

MANCHETES

Ato pró-intervenção militar termina em confusão no Centro de Porto Alegre

19 de abril de 2020

Cerca de 200 pessoas realizaram uma manifestação, na tarde deste domingo, em frente à sede do Comando Militar do Sul, localizada na rua dos Andradas, no Centro de Porto Alegre. O protesto pedia intervenção do Exército para o fechar o Congresso e do Supremo Tribunal Federal (STF). O ato teve confusão em pelo menos dois momentos, quando uma equipe de reportagem acabou expulsa do local após duas mulheres serem agredidas, e quando uma outra mulher, nua e enrolada em uma bandeira do Brasil, subiu em um muro da Igreja Nossa Senhora das Dores, pedindo a saída do presidente Jair Bolsonaro.

Márcia Velasques Campos, uma das vítimas, registrou boletim de ocorrência e afirmou em depoimento que, ao cruzar pela manifestação, viu três homens agredindo uma jovem. “Estava passeando com meus cachorros quando vi a menina sendo agredida. Falei pra um dos homens parar e foi quando me pressionaram contra a parede do quartel e eu acabei apanhando”, relata.

Foi ao tentar apartar a briga e não deixar a jovem sozinha, que Márcia acabou levando socos na boca e nariz. A vítima encaminhou as imagens do agressor, que foram registradas em vídeo. O caso, registrado na 1ª Delegacia de Polícia, deve ser investigado pela 17ª DP.

Agentes da Empresa Pública de Transportes (EPTC) e da Brigada Militar (BM) acompanharam a manifestação, e um pequeno efetivo do BOPE chegou a ficar postado, mas sem o uso de escudos. Nenhuma intervenção chegou a ser tomada para dispersar o público que se aglomerou em frente ao prédio.

Entre os manifestantes alguns tinham máscaras de proteção no rosto, mas o item não era uma constante entre o grupo. Bandeiras do Brasil, camisetas amarelas e da Seleção de Futebol eram constantes, bem como camisetas com o rosto de Bolsonaro.

No mesmo dia, outra manifestação pedia a reabertura do comércio, com uma carreata que se iniciou no Parcão. Uma parte dos manifestantes chegou a se juntar ao grupo, passando no local e buzinando em apoio ao grupo da rua dos Andradas. Porém, a maior parte dos carros seguiu por outras ruas de Porto Alegre para pedir a reabertura do comércio da cidade, pleito que já havia sido feito no sábado.

Compartilhar
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
Fonte: Laura Gross/Rádio Guaíba. Foto: Mauro Schaefer/CP
error: Conteúdo protegido!