Busca rápidaX

MANCHETES

“Caiu como uma bomba na região”, avalia presidente da Amuceleiro sobre proposta de extinguir municípios

6 de novembro de 2019

A geografia do Rio Grande do Sul pode mudar muito, caso o projeto do Governo Federal para extinguir municípios com menos de 5 mil habitantes e que não gerem 10% do total de sua receita vá adiante. Dos 231 com população nesta faixa, apenas cinco tem arrecadação própria superior ao percentual.

Em entrevista à Rádio Progresso nesta manhã, o Presidente da Amuceleiro- Associação dos Municípios da Região Celeiro e também Prefeito de Inhacorá, Everaldo Bueno Rolim (PTB), avalia que a notícia caiu como uma bomba na região.

O Chefe do Executivo afirma que dos 21 municípios que compõe a Amuceleiro, todos os prefeitos são contra a medida anunciada. Destes, 13 cidades tem menos de 5 mil habitantes, e cinco tem arrecadação abaixo da estabelecida pelo Governo Federal.
Sobre esses que não atingem o percentual, o presidente da Amuceleiro acredita que o principal motivo seja “muito serviço e poucas empresas”, o que dificulta a geração de recursos.

Ainda de acordo com a PEC, as cidades com até 5 mil habitantes tem até julho de 2023 para comprovar sua sustentabilidade econômica.
O projeto não determina claramente sobre a incorporação dos municípios. Segundo a proposta, aqueles que conseguirem melhor conduzir a gestão de seus recursos financeiros, vão servir de ‘cidade-mãe’ aos municípios vizinhos.

A AMUPLAN- Associação dos Municípios do Planalto Médio também se manifesta contra a medida. Segundo o Presidente e Prefeito de Jóia, Adriano Marangon de Lima, amanhã (07), a Associação promove uma reunião geral em Nova Ramada para avaliar o projeto.

Compartilhar
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
Fonte: Rádio Progresso de Ijuí

Acompanhe nas Redes

by @TwitterDev
error: Conteúdo protegido!