Busca rápidaX

Centro de Alta Complexidade em Oncologia do HCI começa segunda etapa de ampliação

14 de maio de 2020
Foto: Assessoria do Hospital de Caridade de Ijuí

O Hospital de Caridade de Ijuí (HCI) tem o único centro de alta complexidade em oncologia do interior do Rio Grande do Sul, conforme classificação do Ministério da Saúde, sendo que 90% dos atendimentos são pelo Sistema Único de Saúde (SUS). Depois da conclusão da ampliação do serviço de radioterapia com instalação de um novo e moderno acelerador linear, o Cacon, referência para mais de 120 municípios, iniciou a obra de ampliação dos serviços ambulatoriais e de quimioterapia.

O plano de obras apresentado pelo setor de arquitetura e engenharia da instituição está dividido em três etapas. A primeira foi a construção de uma nova recepção, onde os pacientes chegam para as consultas ambulatoriais. A segunda etapa, é a ampliação e adequação dos ambulatórios e consultórios novos, prevista para ser finalizada em setembro de 2020. “A expansão do Centro, com ampliação de 700m² de área física, totalizando mais de 1.800m² destinados a oncologia, contempla 12 consultórios médicos, 42 poltronas de aplicação de quimioterápicos, salas multiprofissionais e fluxo de acesso diferenciado à edificação”, explica a arquiteta Raquel Radaelli.

O coordenador médico do Cacon oncologista Fábio Franke lembra da importância da obra, que vai qualificar o serviço pioneiro na região, criado há 18 anos. “Quando cheguei aqui, tínhamos inicialmente uma projeção de 700 casos novos por ano e hoje, quase duas décadas, são 3.500 novos casos de câncer anuais e a modernização do espaço da oncologia é uma conquista importante que vai qualificar ainda mais o atendimento”, explica Fábio Franke.

O diretor administrativo do HCI Genésio Gomes fala da importância do envolvimento da sociedade nessa ampliação do Cacon, onde foram captados R$1.063.288,45(Um milhão, sessenta e três mil, duzentos e oitenta e oito reais com quarenta e cinco centavos), através da lei do idoso, que é uma das leis de incentivos vigentes no país. Os doadores foram pessoas físicas e pessoas jurídicas do município, da região e muitos do cenário nacional.

“Os valores maiores foram obtidos através de doações de multinacionais, por conta de reconhecerem a necessidade e a importância de ter um centro de oncologia no interior do estado”, avalia Genésio. Agora, uma nova etapa de captação de recursos com o projeto de estruturação do Cacon, no qual os valores serão investidos em mobiliário, climatização e informatização.

Compartilhar
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
Fonte: HCI

Acompanhe nas Redes

by @TwitterDev
error: Conteúdo protegido!