Busca rápidaX

Com alta de 2%, PIB gaúcho cresce quase o dobro do Brasil em 2019

11 de março de 2020

O Departamento de Economia e Estatística (DEE) divulgou nesta quarta-feira (11) em Porto Alegre o cálculo do Produto Interno Bruto gaúcho do 4° trimestre de 2019 e o acumulado do ano passado. Em 2019, a economia do Rio Grande do Sul cresceu quase o dobro do Brasil. O PIB acumulado gaúcho cresceu 2% contra 1,1% do país. É o melhor resultado anual do Estado desde 2013, no governo de Tarso Genro. Entre os setores da economia, o destaque no Estado foi para a Agropecuária, cuja elevação no ano passado foi de 6,2%. Serviços tiveram elevação de 1,6% no período e a indústria cresceu 1,5%.

Na agricultura, os destaques positivos de 2019 foram: a soja, com elevação de 5,5%, o milho, que cresceu 25,9%, e o trigo, com alta de 30,6%. No setor industrial, a indústria de transformação do Estado chama a atenção com alta de 1,8% em 2019, ante apenas 0,1% de elevação no país. Neste ponto, destaques positivos para veículos automotores, alta de 13,8%, produtos de metal, com elevação de 8,8%, e couro e calçados, que subiu 7,6% em 2019 no Rio Grande do Sul. O destaque negativo da indústria é a construção civil, com queda de 1,1%, enquanto no Brasil o crescimento foi de 1,6%. No setor de serviços, o comércio cresceu 0,6% no ano passado, com destaques positivos para tecidos, vestuário e calçados, alta de 8,2%, artigos de uso pessoal e doméstico, elevação de 7,5%, e hiper e supermercados, que cresceu 1,6%. Os pontos negativos foram para quedas em combustíveis e lubrificantes (-4,2%), materiais de construção (-5,3%), e livros, jornais e revistas (-12,9%).

Em relação ao 4° trimestre de 2019, o resultado do PIB foi negativo, com pequena queda de 0,3% comparado ao mesmo trimestre em 2018. Neste item, o Brasil cresceu 1,7%. A economia gaúcha foi afetada pela retração de 3,9% da indústria no último trimestre do ano passado, enquanto a agropecuária cresceu 3%, com destaque pro ótimo desempenho do trigo, e serviços com elevação de 1,5%. Quando comparado ao trimestre imediatamente anterior, o final de 2019 registra elevação de 0,2%.

Embora o resultado do PIB seja considerado positivo na avaliação do DEE, a economia gaúcha desacelerou no segundo semestre de 2019. Se o Estado tivesse mantido o crescimento do 1° semestre, a elevação do PIB seria quase o dobro: 3,9%. O resultado já era esperado, de acordo com o pesquisador Roberto Martinho Lazzari, responsável pela apresentação do cálculo, pois a agropecuária não tem o mesmo impacto na metade final do ano e a indústria já projetava uma retração. Para os próximos dados da economia gaúcha, a equipe do DEE evita fazer projeções, no entanto pontua que o coronavírus deve afetar os números, assim como em todo o mundo, ainda que haja um cenário de muita incerteza sobre os impactos. Outro ponto que deve frear o crescimento do PIB é a estiagem (que está quase em fase de seca) que afeta a agropecuária, conforme Lazzari. A tendência é que a queda no setor seja maior que a de 2018, porém, segundo o pesquisador, não deve ser tão significativa quanto o resultado de 2012, quando algumas lavouras sofreram queda de quase metade da produção.

Compartilhar
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
Fonte: Rádio Progresso de Ijuí/Arte: Divulgação Seplag
error: Conteúdo protegido!