Busca rápidaX

Com forte recuperação da agropecuária, PIB gaúcho cresce 2,5% no 2º trimestre de 2021

9 de setembro de 2021

O Governo do Estado, através do Departamento de Economia e Estatística, divulgou nesta quinta-feira (09) o cálculo do Produto Interno Bruto do Rio Grande do Sul para o segundo trimestre de 2021. O resultado foi bastante positivo, com crescimento da economia gaúcha de 2,5% na comparação com o primeiro trimestre do ano. Neste mesmo cálculo, o PIB do Brasil teve retração de 0,1%. Ao comparar o segundo trimestre deste ano com 2020, a elevação é ainda mais expressiva e chega a marca de 27,7%, mais que o dobro do Brasil, que cresceu 12,4%. O crescimento já era esperado pelos técnicos do DEE, pois a agropecuária, com a colheita da soja, tem alta contribuição no segundo trimestre, além dos resultados anteriores terem sido impactados negativamente pela pandemia e também pela estiagem, que atingiu duramente o setor agropecuário gaúcho.

Mesmo evitando maiores projeções, os técnicos que calculam o PIB no Rio Grande do Sul destacam que a economia gaúcha tem o primeiro semestre mais forte, sobretudo pela agropecuária, e que para o crescimento continuar é necessário que outros setores, como a indústria tenha um bom desempenho até o final de 2021. Se o ritmo da economia fosse mantido, é possível projetar um crescimento de até dois dígitos neste ano. Mesmo com a desaceleração natural da agropecuária, os técnicos entendem que o desempenho da economia gaúcha deve fechar no positivo.

No acumulado do ano, a economia gaúcha quase chega ao triplo do crescimento nacional. No primeiro semestre de 2021, o PIB do RS cresceu 16,2% contra 6,4% do Brasil. Se for considerado os últimos quatro trimestres, aí sim o Rio Grande do Sul cresce mais que três vezes a economia do país. O acumulado apresenta alta de 6,5% do PIB gaúcho contra 1,8% do Brasil. Entre os setores, a agropecuária gaúcha cresceu 74,9%, contra 3,3% do Brasil, a indústria teve alta de 15,8% contra 10% da economia nacional e serviços com elevação de 3,3%, abaixo do país que subiu 4,7%.

Na comparação do segundo trimestre deste ano com 2020, o principal destaque foi a recuperação da agropecuária que cresceu 103,7%. O Brasil na mesma comparação teve alta de 1,3%. Nos demais setores, a economia gaúcha teve crescimento de 21,2% na indústria e 9,8% nos serviços. Entre os destaques da produção gaúcha, a soja teve alta de 80,6%, também houve crescimento de 6,3% no arroz e 4,3% no milho. Nos segmentos da indústria, os destaques apontados pelos técnicos do DEE são máquinas e equipamentos com alta de 51%, puxada pela capitalização dos produtores e aumento no investimento na produção, couro e calçados com elevação de 67,8% e produtos de metal com alta de 50,1%, dos 14 itens que compõe a indústria de transformação cuja alta foi de 24,9%, 13 tiveram elevação, o único item em queda foi produtos alimentícios (-2,4%), que não foi impactado pela pandemia da covid-19. Outro destaque econômico foi o setor de eletricidade, cujo crescimento foi de 21%, mais que o triplo do Brasil (6,7%), em razão da recuperação após um período afetado pela estiagem. No comércio, cuja alta foi de 18,1%, os destaques foram veículos com alta de 31,6%, tecidos, vestuário e calçados subiram 92,3% e ainda artigos de uso pessoal com crescimento de 86,1%. Supermercados e hipermercados, entretanto, caíram 6,7%.

Compartilhar
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
Fonte: Rádio Progresso de Ijuí
error: Conteúdo protegido!