Busca rápidaX

Comandante da BM de Catuípe escreve carta de agradecimento; Ten. Heberle está voltando a Ijuí

20 de novembro de 2019

Caros amigos, autoridades, integrantes da imprensa e munícipes catuipanos: com alegria comunico que estou de saída, retornando para atuar em Ijuí na sede do 29 BPM, onde estive durante a maior parte da minha carreira. Depois de um ano e quatro meses (julho de 2018) à frente do pelotão da BM de Catuípe, aproveito a oportunidade e interesse de outro oficial em atuar aqui e, permutando com este, retorno. O novo comandante foi soldado em Catuípe no final da década de 80 e agora deseja retornar a casa, por vontade própria, para comandar.

Obrigado ao Sargento Schmitt que estava respondendo pelo comando na minha chegada e seguiu ombreando conosco no comando, inclusive sugerindo várias das mudanças implementadas e a cada um que colaborou durante minha estada na terra das águas minerais. Foi um tempo de quebra de paradigmas e, consequentemente, de muito, muito trabalho. Aos integrantes da imprensa local e regional que, sem precedentes, elevaram o bom nome da Brigada Militar, oque sempre busquei, ao divulgar nossas ações, aos representantes dos órgãos e entidades do município, às lideranças dos poderes constituídos e a cada cidadão catuipano que entendeu e aprovou nossa maneira de empregar o efetivo nas atividades de polícia ostensiva, muito obrigado. Procurei estar presente inclusive na rua, no dia-a-dia, pois muitas ocorrências e situações assim exigiram, ainda que poderia ter apenas coordenado as ações. Meu perfil de atuação é este e há de sempre ser assim, sem preocupação com o “agradar” e sim com o cumprimento das leis.

Acredito que auxiliamos na redução dos índices de criminalidade do município, com dezenas de prisões e apreensões (em apenas uma ação recolhemos mais de quatrocentos produtos de origem incerta) em uma época de muitos furtos em residências, operações de fiscalização sem olhar a quem com total imparcialidade como todo serviço público deve ser, tanto na cidade quanto no meio rural com patrulhas e visitação às comunidades e moradores do interior. Ações concentradas foram realizadas no transporte escolar onde houve inclusive a remoção de veículos particulares que prestavam serviço e colocavam a vida dos estudantes em risco, em bares, em locais de vulnerabilidade, nas proximidades de estabelecimentos de ensino e comerciais, inclusive de combate a perturbação do sossego para o descanso dos trabalhadores, e em todo lugar onde precisávamos nos fazer presentes, estivemos, quer tenha sido por iniciativa própria ou por solicitação.

Posso não ter atingido a expectativa de todos como comandante do Pelotão de Catuípe, nem almejava tanto, e, ainda que tenha encontrado inclusive fortes resistências internas com o novo ritmo de trabalho proposto e com minha forma de pensar, organizar e desenvolver as atividades diárias da BM de Catuípe pelo bem da sociedade organizada que precisa ver o PM na rua, estou com a sensação de missão cumprida, que utilizei minha experiência de cerca de dez anos de agente de inteligência, aprovado em três concursos da instituição ao longo da abreviada carreira, nas decisões tomadas e que dei o meu máximo para que a instituição a que sirvo continuasse a cumprir com seu dever constitucional no município, com forte atuação ostensiva, pois o policiamento ostensivo preventivo é a nossa principal missão (a BM passou a desenvolver uma gama muito grande de atividades em seus 182 anos de história no estado, no entanto este ainda é o principal). Aliás, foram os próprios setores organizados da comunidade que solicitaram atuação mais forte nas ruas e a resposta foi dada, com todo o esforço possível.

Graças ao poder judiciário, aos sindicatos (rural e dos trabalhadores rurais) ao CTG Tropeiros do Rio Branco, a FEICAT, aos poderes executivo e legislativo e as instituições financeiras do município, promovemos mudanças no prédio para melhorar o ambiente de trabalho da tropa, que agora dispõe de cozinha aprazível com revestimento de cima a baixo e lareira, inclusive; sala de arquivo devidamente equipada; sala de aula em condições de haver instrução; piso ecologicamente correto no pátio com adequações de acessibilidade àqueles com dificuldade de locomoção e que buscam o serviço público (após os devidos trâmites, como tomada de preço e prestação de contas devidamente aprovada); grades internas e cofre para o material bélico; com apoio do comando do batalhão renovamos em cem por cento a frota de viaturas para chegar em todos os terrenos (no lugar de um Corsa e um Sandero em precárias condições, uma L200 tracionada e uma Palio Aventure); removemos árvores (com a devida autorização) do entorno, que ameaçavam nossa estrutura física, danificaram a parte hidráulica, telhado e calçadas, e poderiam servir de proteção para criminosos de quadrilhas organizadas que não raras vezes atacam os quartéis de pequenos municípios antes de arrombarem agências bancárias nas madrugadas, sem deixar de nos preocupar com o meio ambiente, pois ao redor do pátio há agora cerca de duas dezenas de plantas ornamentais já em florescimento; instalamos circuito de vídeo monitoramento, também para segurança da tropa e da comunidade, já que as câmeras instaladas na rua defronte ao pelotão tem condições de identificar veículos estranhos que adentram na cidade e as internas permitem a visualização de todos os pontos do pátio simultaneamente e em tempo real em um monitor na sala de operações; fizemos policiamento com permanência continua nos principais eventos do município – rodeios, carnaval, FEICAT (onde fui convidado e aceitei o desafio de ser o chefe de segurança do evento) empregando, inclusive, efetivo de fora do município cujo número chegou a vinte homens em um mesmo turno; devido à escassez de material humano no dia-a-dia e para garantir presença policial na rua implementamos na área central da cidade o policiamento a pé, para que os policiais mantenham mais contato com a população e esta com estes, facilitando a troca de informações. Ainda, graças ao MP local incluímos mais dois computadores ao material de informática do pelotão.

Desejo que meu substituto, Ten *Valmor* Valdemo Nuglisch, ex comandante do pelotão da BM de Ajuricaba, que há exatos trinta anos foi soldado aqui em Catuípe e que agora ao final da carreira retorna para comandar, tenha o mesmo apoio que busquei e tive na sociedade. Agradeço ao CONPOP pela eficiência na administração dos escassos recursos financeiros (a BM não administrou qualquer valor neste período) e ao comando do 29ºBPM pelo suporte que não raras vezes precisei, enviando viaturas e efetivo do policiamento de Ijuí e da Força Tática, quando a nossa “própria força” não era suficiente para fazer frente às situações apresentadas.

Por fim, deixo meu número de telefone e e-mail à disposição para demandas que possam ter ficado em aberto, para os moradores, inclusive. Forte abraço a cada cidadão de bem, com o desejo de nos reencontrarmos nas patrulhas da vida. Foi um grande privilégio tomar desta água e proteger-lhes, sempre rogando que o patrão velho os ilumine para que possam distinguir o bem do mal, a boa da má intensão e que jamais lhes falte senso crítico para avaliar, a partir das vossas próprias crenças, a frase que sempre carreguei comigo, cujo autor desconheço, “A lealdade termina, quando os benefícios acabam!”

Marcos A. Heberle
1° Tenente QTPM
[email protected]

Compartilhar
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
Fonte: Rádio Progresso de Ijuí.

Acompanhe nas Redes

by @TwitterDev
error: Conteúdo protegido!