Busca rápidaX

MANCHETES

Conflito de informações: repasse de parte da bilheteria do show do Alok prometido a Cacon e Liga não é efetivado

4 de dezembro de 2019

Informações desencontradas e o não repasse do dinheiro, prometido às entidades sociais contempladas com o projeto anunciado pela Expoijuí/Fenadi,  geram dúvidas na comunidade ijuiense. Durante a edição deste ano do evento foi anunciado, por parte da organização da feira, o repasse de parte dos valores obtidos com a venda de ingressos do show do Dj Alok, que aconteceu no dia 19 de outubro, para duas entidades que oferecem tratamento e apoio a pessoas com câncer na cidade. Inclusive no site oficial da feira, na editoria destinada aos shows (https://expoijuifenadi.com.br/index.php/ingressos-shows/), há o anúncio grifado abaixo do título “Meia entrada show”, que explica sobre o ingresso ao parque.

No anúncio, o nome das entidades – Cacon e Liga Feminina de Combate ao Câncer de Ijuí – estão em destaque. No entanto, passados mais de 40 dias do fim da feira, o repasse ainda não foi feito. Quem atesta essa informação são as responsáveis pelas duas entidades. Em conversa com a equipe da Rádio Progresso de Ijuí, Rosaní Staudt Ferraz, coordenadora administrativa do Cacon, informou hoje (04), às 9h25min, que a doação não havia chegado à entidade.

A presidente da Liga, Girlei Burmann, também confirmou que não recebeu nenhum repasse. Girlei nos disse, ainda, que ninguém entrou em contato com a entidade propondo a doação. Segundo a líder da entidade, ela apenas ficou sabendo da ação social “pelo jornal”. Já Rosaní falou que quem propôs a ação para o Cacon foi a presidente da Feira, Nadine Dubal.

Os profissionais do setor de jornalismo da Rádio Progresso iniciaram a apuração dessas informações no dia 20 de novembro. Nessa data, entramos em contato com a presidente da edição 2019 da feira. Nadine Dubal informou que “O valor seria dos ingressos da bilheteria do parque daqueles que compraram para o show. Por exemplo, a cada ingresso comprado para o show, R$ 5 retornaria para a bilheteira do parque. Desses R$ 5 tem que descontar ISS da prefeitura e outros descontos”. Foi quando a repórter questionou “Desses 5, um percentual será destinado ao Cacon e Liga, isso?”. A presidente respondeu “Isso, perfeito!”. Na mesma conversa, Nadine confirmou que a prestação de contas somente seria realizada dia 28 de novembro e os repasses só seriam feitos após a data.

No evento de prestação de contas, ocorrido dia 28 na sede da ACI, nossa equipe foi surpreendida com a negativa da presidente sobre a relação entre a ação social de doação de valores e a direção da Expoijuí/Fenadi. Segundo Nadine, em entrevista para a emissora, essa ação nunca foi da ACI, nem da Expoijuí. A proposta de doação de valores foi feita pelos promotores do show, que no momento do recebimento de valores destinariam de R$1 a R$ 5, por ingresso vendido, para as entidades. Na mesma intervenção, Nadine disse que teria mantido contato com os promotores no dia anterior e que os valores já estariam disponíveis e seriam repassados para as entidades durante a mesma semana. A presidente reforçou que as direções das duas entidades já sabiam da existência do prazo para fechamento de contas e já haviam sido informadas que o dinheiro seria transferido em breve.

Porém, não é essa a informação confirmada pelas entidades. Nenhuma das duas direções recebeu contato dos promotores do evento sobre o prazo para destinação dos valores. Nossa equipe tentou contato novamente com a presidente, para obter os telefones dos promotores citados por ela, a fim de verificar a informação, mas não obteve retorno.

Em apuração própria, conseguimos o contato de Paulo Cavalcanti, promotor do show do Alok. Paulo afirmou a nossa reportagem: “Até onde eu sei a ACI faria esse repasse, já que montante financeiro algum me pertence”. O promotor falou ainda, “Você pode constatar com as entidades que eu jamais falei com elas. Sinceramente, é muito estranho tudo isso. Minha função é executar o projeto”. Cavalcanti disse que entraria em contato com a presidente Nadine Dubal para esclarecer a situação. No entanto, segundo ele, não conseguiu falar com ela. Tentamos manter contato via telefone com Nadine, mas também não tivemos nossas chamadas atendidas. Em contato com a ACI, na manhã de hoje, nos foi confirmada a informação de que o promotor, responsável pelo repasse, seria Paulo Cavalcanti, o mesmo que negou envolvimento com a ação social.

Fica, portanto, o questionamento da comunidade ijuiense que pagou entre R$ 45 e R$ 110 por ingressos para apreciar o show da atração nacional, Dj Alok, certa de que parte deste valor teria fim social, e até agora não obteve retorno. Além da dúvida das entidades sociais, se esse apoio financeiro vai chegar ou não?

Compartilhar
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
Fonte: Rádio Progresso de Ijuí

Acompanhe nas Redes

by @TwitterDev
error: Conteúdo protegido!