Busca rápidaX

MANCHETES

Corpo de Bombeiros de Ijuí alerta para os cuidados com lareiras, aquecedores e afins

10 de julho de 2020

Com a chegada do inverno na nossa região e com o registro de temperaturas bem baixas, é comum que a população busque formas de se aquecer, principalmente com o uso de fogões a lenha, lareiras, calefatores, aquecedores, estufas e equipamentos similares. Contudo, nestes casos é sempre necessário prestar atenção a alguns detalhes.

De acordo com o Tenente Paulo Roberto de Almeida, do Corpo de Bombeiros de Ijuí, em geral, todo equipamento apresenta risco e, por conta disso, deve-se levar em consideração alguns cuidados fundamentais.

Segundo o Tenente, fogão a lenha e calefatores são os aparelhos que apresentam menor risco, por conta da possibilidade de deixar a porta dos equipamentos fechada, sem que haja o risco de cair alguma lenha ou brasa. Contudo, se a intenção é deixar o equipamento aberto, é necessário que o morador tome cuidado com panos, tapetes ou mesmo com o assoalho de madeira, que pode vir a queimar. O tenente recomenda que nesses casos seja colocado ao redor do fogão, da lareira ou do calefator, pisos de cerâmica, a fim de segurar que, caso alguma brasa venha a cair, que não haja a possibilidade de combustão.

Já para aqueles que utilizam aquecedores e estufas, o Tenente do Corpo de Bombeiros salienta que estes materiais passam por testes rigorosos e são registrados pelos seus fabricantes. Contudo, quando há problema ocasionado com estes equipamentos, no geral estão vinculados a questões elétricas. Por conta disso, o Corpo de Bombeiros recomenda que estes itens sejam desligados no momento em que o usuário for dormir, pois, caso fique ligado, poderá ocorrer um superaquecimento e gerar um curto circuito. Além disso, não se deve deixar o aquecedor próximo à cama ou de algum material que possa esquentar. O Tenente também relembra a importância de deixar uma porta aberta para renovação do oxigênio.

Outro ponto esclarecido pelo profissional é a respeito das lareiras ecológicas. De acordo com ele, é preciso tomar muito cuidado com o álcool, costumeiramente utilizado neste aparelho. Segundo o Tenente, a recomendação é de que seja utilizado o álcool 92,8% de pureza e jamais fazer o uso do álcool etílico, ou seja, o etanol comprado em postos de gasolina. Neste caso, como o etanol possui componentes derivados do petróleo, há a possibilidade de que substâncias tóxicas sejam liberadas, prejudicando a saúde do ser humano. No caso das lareiras ecológicas, o Tenente também ressalta que o álcool colocado precisa ser queimado até o final, pois, caso fique muito tempo evaporando, pode ocorrer uma explosão.

O Corpo de Bombeiros também salienta que é importante realizar a verificação da fiação da residência, através de um eletricista, pois aparelhos eletrônicos de aquecimento utilizam grande quantidade de energia e muitas vezes a resistência não suporta a demanda, o que pode ocasionar um curto circuito e, na pior das hipóteses, um incêndio.

Neste ano, o Corpo de Bombeiros de Ijuí atendeu somente um chamado em virtude de acidentes do tipo. O fato ocorreu em uma churrascaria, onde o picumã da chaminé entrou em combustão. O batalhão conteve as chamas.

O Tenente ainda relembra que churrascaria e restaurantes precisam realizar a limpeza da chaminé a cada três ou quatro meses, porque pode acumular o picumã, ou seja, uma teia resultante da fuligem e ocasionar a combustão.    

Compartilhar
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
Fonte: Rádio Progresso de Ijuí
error: Conteúdo protegido!