Busca rápidaX

Crise na Saúde: CACON de Ijuí suspende quimioterapia por falta de medicamentos

27 de novembro de 2018

No dia nacional de combate ao câncer, lembrado hoje(27), o Coordenador do CACON (Centro de Alta Complexidade em Oncologia) do HCI, médico Fábio Franke destacou, em entrevista, ao programa Rádio Ligado da Rádio Progresso, as dificuldades enfrentadas pelo centro, em relação aos atrasos nos repasses por parte do governo do Estado. Nos últimos 30 dias mais de 4mil pacientes passaram pelo CACON para atendimento.

O centro, atende a grande população Macro Regional, que equivale a mais de 1 milhão de pessoas. 80% desses atendimentos são realizados através de contrato com o Sistema Único de Saúde (SUS). O Centro de Alta Complexidade no tratamento do Câncer de Ijuí, é o mais moderno do interior do estado, contanto com equipamentos de alta tecnologia, e um corpo clínico de excelência. 

Conforme Fábio Franke, o estado do Rio Grande do Sul, através da Secretaria Estadual da Saúde, deve 3 meses em repasses ao CACON, o que equivale à R$12 milhões. Nesses números também estão contabilizados serviços prestados pelo Ipê Saúde. Diante dessa dificuldade, algumas seções de Quimioterapia são canceladas, pela falta do medicamento necessário. Segundo Dr. Fábio Franke, os fornecedores dos remédios necessários, para o procedimento de quimioterapia, já não enviam os medicamentos os Hospital, por falta de pagamento.

O Coordenador do CACON Fábio Franke alertou ainda que caso não ocorra os repasses emergencialmente a situação dos atendimentos poderá se agravar ainda mais. “Não podemos esperar mais, a situação é muito difícil. Os pacientes não podem esperar e a doença não para de avançar” Disse Fábio Franke.

Do início deste ano até o momento, 3 mil casos novos de câncer iniciaram tratamento no HCI. Os tipos mais recorrente da doença são; Câncer de Mama em mulheres e Próstata nos homens. Em seguida Câncer de Pulmão e Intestino são os mais observados.

A Secretaria Estadual de Saúde divulgou nota sobre os problemas relacionados com os pagamentos de Municípios de Hospitais, confira:

“Para suprir a demanda dos hospitais que suspenderam os atendimentos, a SES está em negociação com os municípios que continuam funcionando integralmente para que recebam parte desta demanda. A SES está buscando soluções específicas para as referências dos municípios que suspenderam os atendimentos. A Secretaria Estadual da Saúde repassou aos hospitais R$ 20 milhões como complemento do Teto MAC (Média e Alta Complexidade) como pagamento pela prestação de serviços e espera repassar mais R$ 90 milhões (referentes aos incentivos estaduais) até o fim do mês. Os recursos federais têm sido repassados integralmente aos hospitais para pagamento da produção dos serviços.”

 

Ouça as declarações do Dr. Fábio Franke, médico oncologista, coordenador do Cacon HCI.

Compartilhar
  • 10.8K
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
    10.8K
    Shares
Fonte: Radio Progresso AM 690

Acompanhe nas Redes

by @TwitterDev
error: Conteúdo protegido!