Busca rápidaX

Champs Elysees

Crise na Saúde: Salários atrasados interrompe atendimentos em Cruz Alta

20 de novembro de 2018

    A situação não poderia ser pior. Sem garantias de receber seus salários, funcionários do Hospital São Vicente de Paulo e da Unidade de Pronto Atendimento de Cruz Alta cruzaram os braços. A crise maior, aconteceu logo após o Hospital atrasar o pagamento de parte do salário do mês de setembro, a integralidade de outubro e, não ter previsão de pagamento para o 13º salário.  O atraso no pagamento dos salários prejudica em torno de 500 colaboradores da instituição.

  O HSVP de Cruz Alta, é responsável por 80% dos atendimentos de urgência e emergência pelo Sistema Único de Saúde em 13 municípios da região.

  Na última semana, como já divulgado pela Rádio Progresso, a assessoria de imprensa da entidade divulgou nota relatando que foi paga a complementação do pagamento de 24,75% líquido da folha do mês de setembro para os colaboradores da parte assistencial. O comunicado ressaltou também o pagamento de 18,75% líquido para os demais setores.

  Em relação à Unidade de Pronto Atendimento – UPA -, o efeito cascata traz a paralisação, que também é relacionada ao atraso no pagamento dos vencimentos dos funcionários. Em ambas unidades, o funcionários reúnem-se na troca de plantão das 19h para deliberar sobre a continuidade da manifestação, que segue, sem ter qualquer aceno de retomar as atividades normais.

  Diante deste fato, a população que necessita dos atendimentos pelo Sistema Único de Saúde é quem sofre. Internações clínicas e cirurgias eletivas foram canceladas, devido a paralisação dos profissionais. Para piorar, os pacientes que necessitam de atendimento clínico permanecem na emergência do hospital até ser transferido para outro Hospital que possa atender a demanda. 

   Uma audiência pública está marcada para essa Quarta Feira(21), na Câmara de Vereadores de Cruz Alta para debater a situação enfrentada pelo hospital e a unidade de pronto atendimento.

Situação dos Hospitais Filantrópicos do Rio Grande do Sul e a dívida do Governo do Estado

   Segundo a Federação das Santas Casas, Hospitais Filantrópicos do Rio Grande do Sul, até hoje (20 de novembro), o Governo do Estado do Rio Grande do Sul não informou à rede de 269 Santas Casas e Hospitais Filantrópicos sobre um cronograma de pagamentos de recursos atrasados desde o mês de agosto de 2018. 

   O montante chega a R$ 187,5 milhões. Além de Cruz Alta  outros Hospitais que interromperam serviços, são, Casas de Saúde dos municípios de Canoas, Montenegro, Camaquã, Lagoa Vermelha, entre outros. 

   Uma Pesquisa da Federação das Santas Casas indica que, se não houver o pagamento deste montante, 81% das instituições não terá condições de cumprir com o 13º dos funcionários. 38% dos hospitais já estão com salários atrasados e 14% operam com restrições de atendimentos.

Compartilhar
  • 33
  •  
  •  
  •  
  •  
    33
    Shares
Fonte: Rádio Progresso AM 690

Deixe seu comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Acompanhe nas Redes

by @TwitterDev
error: Conteúdo protegido !!!