Busca rápidaX

MANCHETES

Cronograma de concessionária prevê cobrança de pedágio em 4 praças da BR-386 em 2020

14 de janeiro de 2019

Após a assinatura do contrato de concessão das Rodovias de Integração do Sul nesta sexta-feira (11), que compõem mais de 473 quilômetros em quatro rodovias federais do Rio Grande do Sul, o Grupo CCR, de São Paulo, divulgou um cronograma para previsão de início das obras e também o início da cobrança de pedágio, nas sete praças nos trechos de concessão. Na BR-386, que liga a região metropolitana ao noroeste gaúcho, serão quatro praças de pedágio que devem começar a cobrar em 13 meses. A tarifa de R$ 4,30 será paga nos dois sentidos em cada praça a partir do dia 15 de fevereiro de 2020, segundo a concessionária. Ao longo da rodovia, as praças serão colocadas em Montenegro (km 424), Paverama (km 375), Fontoura Xavier (km 260) e Victor Graeff (km 203). Na mesma data, está programado o início da restauração do pavimento de todo o trecho da BR-386. A construção das praças de pedágio começam em fevereiro deste ano. A partir de fevereiro de 2021, começam as obras de duplicação em 225 km de trecho de Lajeado a Carazinho, da BR-386. Os trabalhos iniciam a partir do trecho de Lajeado até Marques de Souza.

As demais três praças de pedágio ficarão localizadas na BR-290, a freeway, e na BR-101. A BR-448, que liga Porto Alegre a Sapucaia do Sul não terá cobrança de pedágio. No mês que vem, a freeway será a primeira a ativar suas praças de pedágio. As cobranças começam nos mesmos locais já existentes, que inclusive, estão sendo restaurados desde a sexta-feira. Até 2020, a concessionária vai transferir a praça de Gravataí para Glorinha. A praça da BR-101 será em Três Cachoeiras e também inicia em fevereiro de 2020.

A concessionária também vai instalar bases operacionais nas rodovias e prestar atendimento mecânico e socorro médico aos usuários. O contrato de concessão tem duração de 30 anos, prorrogáveis por mais 10. Até 2049, o Grupo CCR vai investir R$ 13,4 bilhões, em obras de duplicações e restauração das vias. Todos os recursos serão obtidos através do pedágio. Com o início dos trabalhos, a concessionária estima que 2 mil empregos diretos sejam gerados e, segundo o governo do Estado, mais 2 mil também devem ser criados em razão das melhorias. O governador Eduardo Leite também ressaltou a importância de ceder os trechos para a iniciativa privada e celebrou a projeção de mais de 1 bilhão de reais que devem retornar para os 32 municípios, ao longo das rodovias, em arrecadação durante o contrato de concessão com o pagamento do pedágio.

O secretário de logística e transportes do Estado, Juvir Costella, ressaltou a importância da atuação da concessionária na BR-386 chamada de rodovia da produção. “Ela acaba fazendo na sua duplicação algo que é incalculável e imensurável, porque acaba ligando com outras regiões do Estado, proporcionando o escoamento e também com a possibilidade da ida da 116 até o porto de Rio Grande. Na verdade, traz consigo o crescimento, o desenvolvimento e algo que é importantíssimo dizer: a duplicação traz o benefício que é salvar vidas”, explicou o secretário, que completou dizendo que a duplicação da rodovia era um sonho e agora torna-se realidade.

Compartilhar
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
Fonte: Rádio Progresso de Ijuí/Arte: Palácio Piratini

Deixe seu comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Acompanhe nas Redes

by @TwitterDev
error: Conteúdo protegido !!!