Busca rápidaX

MANCHETES

Delegacias da mulher no Rio Grande do Sul receberão oito viaturas

30 de janeiro de 2021

Oito viaturas serão adquiridas para uso nas Delegacias Especializadas de Atendimento à Mulher (DEAMs), no estado do Rio Grande do Sul (PC-RS). Os veículos são resultado do investimento de R$ 1,28 milhão do Ministério da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos (MMFDH) e outros R$ 77 mil em parceria com a Secretaria de Segurança Pública do estado.

“As polícias civis e militares são, em geral, a porta de entrada principal que as mulheres buscam quando se sentem ameaçadas e até mesmo quando agredidas, por isso estamos fomentando a aquisição de viaturas e equipamentos”, destaca a adjunta da Secretaria Nacional de Políticas para as Mulheres (SNPM/MMFDH), Dinah Silva.

De acordo com a secretária adjunta, a ação é uma estratégia para o fortalecimento da rede de atendimento, que tem como objetivo reduzir os casos de violência contra a mulher. “Esse é um compromisso assumido pela SNPM em encontros com a Polícia Civil e Militar”, enfatiza.

Os valores investidos pelo ministério são de emendas parlamentares de comissão e relatoria, do Congresso Nacional. Para a ação, os Poderes Executivo e Legislativo realizaram trabalho conjunto.

Efetividade

A chefe da Polícia Civil do Rio Grande do Sul, delegada Nadine Anflor ressalta que a aquisição vem em boa hora. Segundo ela, a idade média do efetivo de veículos é antiga e impossibilita ações educativas, que também constam nos objetivos.

“Não somente aquele trabalho de polícia judiciária, de investigação depois que o crime aconteceu, mas também de viaturas que vão possibilitar aos policiais fazerem – além dessa busca ativa de mulheres vítimas de violência – palestras, encontros com pessoas nas comunidades”, afirma.

Para a delegada-chefe, as novas viaturas cooperam também com o trabalho dos profissionais. “Isso traz, além de segurança para as mulheres vítimas de violência, uma renovação de esperança. Traz o que é fundamental para os policiais, um estímulo para que eles vejam que estão sendo valorizados nessa área, que eles são muito importantes e fazem a diferença não somente para a mulher, mas também para a família inteira”, completa.

Estado

O Rio Grande do Sul possui 5,8 milhões de pessoas do sexo feminino (51,3% da população) e ocupa a 4ª posição no ranking nacional em números de assassinatos de mulheres, de acordo com o Anuário Brasileiro de Segurança Pública 2020.

Quanto às denúncias, somente no ano passado foram mais de 45,8 mil ocorrências registradas nas respectivas Delegacias Especializadas de Atendimento à Mulher (DEAMs), órgãos que também possuem 69 mil procedimentos policiais em andamento.

Um levantamento estatístico da Polícia Civil do estado revela ainda que, até novembro/2020, o Rio Grande do Sul contabilizava 339 feminicídios consumados ou tentados, contra 297 em todo o ano de 2019.

Atualmente, o estado conta com 23 DEAMs localizadas nas cidades de Porto Alegre, Canoas, Gravataí, Novo Hamburgo, Santa Maria, Santa Cruz do Sul, Rio Grande, Pelotas, Erechim, Passo Fundo, Ijuí, Cruz Alta, Caxias do Sul, Lajeado, Santa Rosa, Bento Gonçalves, Montenegro, Santo Ângelo, Uruguaiana, Bagé, Alvorada, Viamão e São Leopoldo. As unidades atendem diariamente mulheres que denunciam as agressões sofridas.

Denuncie

O Ministério da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos (MMFDH) disponibiliza canais de atendimento gratuitos para o registro de denúncias 24h por dia. Desta forma, é possível acionar o Ligue 180 (Central de Atendimento à Mulher) pelo aplicativo Direitos Humanos Brasil, pelo site da Ouvidoria Nacional de Direitos Humanos (ONDH), pelo Telegram e, mais recentemente, pelo Whatsapp, no número (61) 99656-5008. Saiba mais.

Compartilhar
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
Fonte: Ministério da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos Busca
error: Conteúdo protegido!