Busca rápidaX

MANCHETES

Deputado Perondi defende reforma da previdência na Fecomércio/RS

2 de julho de 2017
O deputado Darcísio Perondi (PMDB-RS), vice-líder do Governo na Câmara, participou, nessa sexta-feira (30), em Porto Alegre, de debate na Federação do Comércio do Rio Grande do Sul (Fecomércio/RS), com o tema: "Reforma da Previdência: Perda ou Garantia de Direitos?". Em sua palestra, o parlamentar garantiu que não haverá perdas, como alega a oposição, e que a reforma é absolutamente necessária e urgente, sob pena de, em poucos anos, o Governo não ter mais dinheiro para honrar seus compromissos. “A reforma é necessária para que os atuais aposentados continuem recebendo seus benefícios e os jovens e trabalhadores de hoje consigam se aposentar no futuro. A Reforma da Previdência significa mudar ou morrer”, disse.

Segundo Perondi, a previdência, como está hoje, é o maior programa de transferência de renda para ricos. “Hoje no Brasil, muitos são obrigados a trabalhar dura e longamente para receber uma pequena aposentadoria, enquanto uns poucos se aposentam cedo ganhando muito mais. A previdência está funcionando como mecanismo que transfere renda da maioria pobre para a minoria rica.  Com a reforma, estamos promovendo um verdadeiro duelo contra a privilegiatura e grandes corporações da elite do serviço público. Com a reforma, parte dos recursos que seriam destinados ao pagamento de aposentadorias e pensões poderão ser usados para aumentar as transferências sociais com um forte impacto de redução da desigualdade”, explicou.  

Perondi acredita que os resultados positivos das “corajosas” medidas econômicas adotadas pelo presidente Michel Temer vão garantir que ele conclua seu mandato e comande o País até 31 de dezembro de 2018. “Este é um momento crucial e rico para o futuro do Brasil. Um tempo de crise, mas de mudança. E os resultados já estão mostrando isto. A Dívida Bruta Interna está diminuindo; a inflação está em 3,7% nos últimos 12 meses, uma das mais baixas dos últimos anos; a taxa SELIC e os juros estão caindo, sem a irresponsabilidade anterior. Além disso, a taxa de desemprego começou a cair, de 14,2% para 13,3%”, informou. 

Compartilhar
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
error: Conteúdo protegido!