Busca rápidaX

Deputados mantém veto e segue proibida a venda de bebidas alcoólicas nos estádios gaúchos

13 de março de 2019

Continua proibida a comercialização e consumo de bebidas alcoólicas nos estádios do Rio Grande do Sul. Em sessão nesta terça-feira (12), a Assembleia Legislativa manteve o veto do governador Eduardo Leite sobre o assunto com ampla vantagem: 46 votos favoráveis a 5. O Executivo decidiu a partir do argumento de órgãos de segurança pública e o Ministério Público, que entendem que a proibição é fundamental para redução de casos de violência nos estádios.

Votaram pela derrubada do veto, os deputados do partido Novo, Fábio Ostermann e Giuseppe Riesgo, o deputado do PSD, Gaúcho da Geral, além de Professor Issur Koch do PP e Dalciso Oliveira do PSB, que divergiram de suas bancadas. O presidente do São Luiz, Pedro Pittol, outros representantes de clubes do interior e o presidente da FGF, Francisco Noveletto, acompanharam a sessão e a discussão do tema das galerias da Assembleia.

O projeto que liberava a venda de bebidas alcoólicas até o intervalo dos jogos foi aprovado pela Assembleia no final do ano passado por 25 votos a 13. A proposta foi dos deputados do PDT Gilmar Sossella e Ciro Simoni. O texto alterava a lei de abril de 2008 que proíbe a comercialização de bebidas alcoólicas em estádios e ginásios esportivos gaúchos.

O líder do governo Leite na Assembleia Legislativa, Frederico Antunes (PP) explica que a manutenção do veto não significa que o assunto está encerrado. A partir de agora, o parlamentar assegura que uma subcomissão será instalada para debater o tema e buscar uma alternativa ao projeto vetado. A iniciativa de criar esta subcomissão foi definida em uma reunião na manhã desta terça-feira, antes da votação. O encontro contou com as presenças do presidente da Federação Gaúcha de Futebol, Francisco Noveletto, do presidente do Grêmio, Romildo Bolzan Junior, do presidente do Internacional, Marcelo Medeiros, além do secretário-chefe da casa civil Otomar Vivian. Com a criação da subcomissão, a base do governo convenceu deputados a manterem o veto.

O deputado estadual Giuseppe Riesgo (NOVO) criticou este acordo feito pelos líderes de bancadas. O parlamentar defende que a subcomissão seja implantada, mesmo se o veto tivesse sido derrubado. Riesgo argumenta que a proibição não está relacionada a redução da violência, pois muitos bebem do portão pra fora e entram nos estádios embriagados. O deputado do partido Novo destaca ainda que uma minoria que provoca tumultos não deve afetar a maioria que bebe de forma moderada e não causa confusões.

Compartilhar
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
Fonte: Rádio Progresso de Ijuí

Deixe seu comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Acompanhe nas Redes

by @TwitterDev
error: Conteúdo protegido !!!