Busca rápidaX

Direto do Japão, presidente da Famurs ressalta importância em investir em termelétrica

5 de junho de 2017
Uma série de reuniões sobre a exploração sustentável do carvão e o aproveitamento da tecnologia japonesa no Rio Grande do Sul marcou o primeiro dia de trabalho da comitiva gaúcha em Tóquio, no Japão. O grupo é liderado pelo governador José Ivo Sartori. Houve visita numa usina, além de reuniões com executivos de empresas.

Existe interesse e um estudo de viabilidade já concluído para construir uma usina térmica de carvão de alta eficiência, para geração de energia, no Rio Grande do Sul. A iniciativa, com investimento de cerca de 2 bilhões de dólares, tem apoio do governo japonês. O Rio Grande do Sul possui 90% das reservas de carvão do Brasil.

O presidente da Federação das Associações dos Municípios do Rio Grande do Sul, Luciano Pinto, integra a comitiva gaúcha. Em entrevista nesta manhã na Progresso, direto do Japão, Luciano Pinto disse que é possível investir numa termelétrica no Rio Grande do Sul, até pela crise enérgica gaúcha. Porém, enfatizou que é preciso aplicar recursos financeiros em tecnologia, além de desburocratizar o sistema de licenciamento ambiental. Ele espera que haja agilidade nas licenças ambientais, até porque a presidente da Fepam, Ana Pelini, também faz parte da comitiva no Japão.
 

Compartilhar
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

Acompanhe nas Redes

by @TwitterDev
error: Conteúdo protegido!