Busca rápidaX

Eduardo Leite percebe início da estabilização de casos da Covid-19, defende reforma tributária e retorno das aulas presenciais

25 de agosto de 2020
Foto: Gustavo Mansur / Palácio Piratini

Para o governador do Rio Grande do Sul, Eduardo Leite, o Estado começa registrar estabilização de casos e óbitos da Covid-19, o que proporciona maior equilíbrio entre economia e saúde. Durante entrevista hoje pela manhã na RPI, Eduardo Leite destacou as ações do governo gaúcho colocadas em prática desde o início da pandemia, em março deste ano, o que levou o Rio Grande do Sul a ter menos restrições no funcionamento de empresas, indústrias e outros segmentos.

Segundo o governador, o Estado praticamente dobrou o número de leitos em UTI pelo SUS, especialmente a fim de atender pessoas com o novo coronavírus. Sobre o retorno às aulas presenciais, Eduardo Leite observou que o debate está aberto e segue a ideia de retomar as ações pela educação infantil. Isso porque, com a reativação da economia, os pais têm as funções profissionais e precisam das escolas infantis para deixar os filhos.

Porém, o chefe do Executivo gaúcho alertou que pode tirar a obrigatoriedade do início das aulas presenciais pelas escolas infantis e deixar que prefeitos decidam por quais níveis educacionais recomeçar as aulas, por exemplo, pelo ensino privado. Leite frisou que a ideia é nessa semana encaminhar definições para colocar em prática na próxima semana. 

Na mesma entrevista na Progresso nessa manhã, o governador gaúcho defendeu a necessidade da aprovação da reforma tributária, que tramita na Assembleia Legislativa. Segundo ele, é fundamental a reforma tributária para o Estado ter dinheiro a fim de realizar melhorias em rodovias estaduais, além de mais recursos para investir em segurança pública e até projetar a retomada do pagamento em dia dos salários do funcionalismo estadual. Eduardo Leite frisou que sem a reforma tributária o Rio Grande do Sul vai perder dois bilhões de reais. Ele também destacou que o Estado precisa de mais três milhões de reais para recuperação ampla de estradas estaduais. Para isso, o governo gaúcho aguarda recursos da CIDE, que é imposto dos combustíveis. Outro tema abordado na entrevista na RPI hoje pela manhã foi a possibilidade de privatizar a CEEE.

O governador comentou que por te uma grande estrutura, a venda da Companhia Estadual de Energia Elétrica precisa de grande organização, para aproveitar melhor o valor. Eduardo Leite acredita que até o final deste ano aconteça o leilão para venda da CEEE Distribuidora. Mas os recursos somente entrarão no caixa do Estado em 2021.

Acompanhe a íntegra da entrevista:

 

Compartilhar
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
Fonte: Rádio Progresso de Ijuí
error: Conteúdo protegido!