Busca rápidaX

MANCHETES

Em entrevista na RPI, Juíza corregedora esclarece campanha de combate ao abuso sexual de menores

18 de maio de 2017
Com o desafio de desvelar um crime complexo e cruel, o Poder Judiciário do Rio Grande do Sul lançou a campanha "Abuso e exploração sexual de crianças e adolescentes – O problema é nosso! Denuncie!". Durante entrevista hoje pela manhã na Progresso, a Juíza Corregedora do Tribunal de Justiça gaúcho, Andréa Rezende Russo, disse que apenas cerca de 10% dos crimes de abuso contra menores de idade chegam ao conhecimento das autoridades. Além disso, somente 30% desse tipo de violência deixam vestígios, através de lesões nas vítimas, doenças sexualmente transmissíveis ou outras situações.

A Juíza comenta que o abuso não se configura somente quando o ato é consumado, mas também se comprova durante toques ou carícias, por exemplo. Na mesma entrevista na RPI, Andréa Rezende Russo, que também é responsável pela Coordenadoria Estadual da Infância e Juventude e da própria campanha, esclareceu que a grande maioria dos crimes de abuso e exploração sexual ocorre nos locais em que a vítima convive.

São situações, por exemplo, dentro das próprias famílias em que os abusadores são os pais, tios, demais parentes ou amigos próximos do grupo familiar. A Juíza observou que um dos focos da campanha lançada pelo Tribunal de Justiça é alertar as escolas para que professores fiquem atentos ao comportamento ou denúncia dos alunos, visto que muitas vezes é nos colégios que as vítimas fazem comentários desses crimes.

 
 

Compartilhar
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
error: Conteúdo protegido!