Busca rápidaX

Escavações em Ibirubá investigam existência de suposto túnel usado por nazistas

1 de outubro de 2019
Escavações foram realizadas na manhã desta terça-feira (1º) no Centro de Ibirubá — Foto: Francieli Alonso/RBS TV

Escavações foram realizadas na manhã desta terça-feira (1º) no Centro de Ibirubá, para investigar a existência de um suposto túnel usado por nazistas na cidade. Participam da ação equipes da prefeitura, uma empresa privada que voluntariamente está ajudando com equipamentos, bombeiros e Brigada Militar.

Até o fim da manhã, as equipes acharam uma tubulação antiga de concreto e uma parede. Bombeiros entraram, com oxigênio, para fotografar e fazer um levantamento.

O grupo está investigando uma suspeita histórica: a de que, na região, haveria um túnel supostamente utilizado como rota de fuga por nazistas na Segunda Guerra Mundial.

Se a existência do túnel for confirmada, o prefeito da cidade, Abel Grave (PRB), disse que tem intenção de contatar o Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan) e outros órgãos de apoio ao patrimônio público para idealizar um espaço turístico no túnel.

“Para recuperar essa história, que de repente em algum momento ficou obscura, mas é a história do nosso município que será desvendada”, afirma Abel.

Conforme pesquisas, reportagens antigas e a crença popular de moradores, o suposto túnel está na região central da cidade, com ramais que totalizariam cerca de dois quilômetros de extensão. Teria sido construído por moradores descendentes de imigrantes alemães. Serviria para contrabando e para passagem de colaboradores de Adolf Hitler na América Latina.

Estudo de geologia

Um grupo de geólogos da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS) estudou o local e detectou a existência de “duas anomalias côncavas” no subsolo. Os pesquisadores, no entanto, assinalam a possibilidade de fenômenos se originarem por outros motivos, que não o túnel.

“Desta forma, o significado de tais anomalias somente pode ser conhecido através de dados diretos, os quais permitirão indicar se estão relacionadas a mudanças antrópicas produzidas no subsolo ou a feições geológicas”, narra o relatório.

Quatro pontos por onde supostamente o túnel passa, no cruzamento entre as ruas Flores da Cunha e Getúlio Vargas, foram sinalizados após os estudos dos geólogos. Para quem acompanha a história, isso pode ser um sinal que confirma a presença do túnel.

Compartilhar
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
Fonte: G1

Acompanhe nas Redes

by @TwitterDev
error: Conteúdo protegido!