Busca rápidaX

MANCHETES

Estiagem, baixo preço do produto e aumento no custo de produção: atividade leiteira enfrenta severas dificuldades

23 de janeiro de 2022

A estiagem que assola todo o Rio Grande do Sul é, segundo alguns produtores, a mais severa da última década. Em Ijuí, os mais de R$ 200 milhões em prejuízos motivaram o decreto de situação de emergência. Outros 300 municípios do estado, seguiram o mesmo caminho. Diversos grupos de trabalho buscam soluções para amenizar os impactos que a falta de chuva causa, especialmente na produção de soja, hortigranjeiros e atividade leiteira. 

Em entrevista à Rádio Progresso, o Presidente do Sindicato dos Trabalhadores Rurais de  Ijuí, Carlos Karlinski, disse que uma das situações mais preocupantes se refere à produção leiteira, que enfrenta outros problemas. “Eu costumo dizer que o produtor de leite enfrenta três secas: a falta de chuvas, propriamente dita, o baixo preço pago pelo produto, que ao contrário do que se espera, não valorizou e ainda o aumento nos custos de produção”, disse. 

Além disso, Karlinski pontuou que os produtores estavam se preparando com a silagem, mas com a falta de chuvas, não estão conseguindo suprir a demanda e quando conseguem, somente de baixa qualidade. “O produtor vive uma situação muito dramática, por isso estamos tentando buscar ajuda. Formamos grupos de trabalho, para levantamento de pauta e estamos buscando, junto com as demais entidades representativas, a prorrogação dos financiamentos, alguns ajustes no PROAGRO, o seguro agrícola e outras alternativas que possam ajudar”, disse.

Karlinski disse ainda que em alguns locais, poços artesianos estão secando, o que reforça a necessidade de discussão sobre retenção de água. “Agora precisamos conversar sobre  a necessidade de retenção de água, aprofundar essa discussão para evitar problemas futuros”, pontuou.

Fonte: Rádio Progresso de Ijuí
error: Conteúdo protegido!