Busca rápidaX

MANCHETES

Estudo sobre transporte coletivo urbano apresenta índices da região de Ijuí

23 de dezembro de 2019

O Tribunal de Contas do Estado disponibilizou nova edição do Diagnóstico do Transporte Coletivo Urbano por ônibus no Rio Grande do Sul. No estudo, são avaliados os sistemas de ônibus dos municípios com mais de 25 mil habitantes, com destaque para os aspectos como tarifa, estrutura dos custos e a qualidade do serviço.

As frotas de ônibus dos Municípios Carazinho e Cruz Alta, por exemplo, possuem 100% de acessibilidade. Já Santa Rosa possui índice de 90% de acessibilidade. Palmeira das Missões declarou a existência de indicadores de controle de qualidade nos contratos de concessão do transporte coletivo urbano.

Por outro lado, Santa Rosa, Santo Ângelo, São Luiz Gonzaga e São Borja destacaram que possuem Conselhos Municipais de Transportes. Santiago e Palmeira das Missões são alguns dos municípios que relataram situação de precariedade nas contratações relativas aos serviços de transporte coletivo por ônibus.

Já Ijuí, Cruz Alta, Panambi e Santa Rosa estão na lista de municípios com bilhetagem eletrônica nos ônibus coletivos urbanos. Dentre os municípios com população entre 50 mil e 100 mil habitantes, Carazinho é o que possui o menor valor de tarifa, ou seja, 2 reais e 85 centavos.

Durante entrevista hoje pela manhã na RPI, o auditor do Tribunal de Contas do Estado, Airton Rehbein, coordenador do Diagnóstico do Transporte Coletivo Urbano no Rio Grande do Sul, disse que chama atenção a redução do número de passageiros.

Isso é geral no Rio Grande do Sul, em função, por exemplo, do surgimento de transporte por aplicativos, que causa diminuição da procura por ônibus urbanos. Além disso, a crise financeira faz com que as pessoas utilizem menos os ônibus.

Compartilhar
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
Fonte: Rádio Progresso de Ijuí

Acompanhe nas Redes

by @TwitterDev
error: Conteúdo protegido!