Busca rápidaX

Farsul projeta safra recorde no Estado em 2020

10 de dezembro de 2019
Presidente da Farsul, Gedeão Pereira, concedeu entrevista coletiva nesta terça-feira

A Federação da Agricultura do Rio Grande do Sul (Farsul) apresentou nesta terça-feira (10), em Porto Alegre, o balanço do agronegócio em 2019 e as expectativas para 2020. De acordo com o economista-chefe do Sistema Farsul, Antônio da Luz, caso o clima do Estado seja favorável e sem grandes catástrofes a produção gaúcha deve registrar safra recorde no ano que vem, com crescimento de 2,1% em relação a 2019, e total de 35,4 milhões de toneladas de grãos, equivalente a 100 mil toneladas a mais do que a safra recorde de 2017. A área plantada no Estado deve subir 0,9% no ano que vem, com destaque positivo para a soja, cuja elevação estimada é de 1,7% e alta de 3,6% na produtividade. O destaque negativo segue sendo o arroz que deve recuar em 3,2% a área em 2020, embora a produção estimada é de alta de 2,4%.

Sobre a elevação do preço da carne, o presidente da Farsul, Gedeão Pereira, ressalta que os valores podem cair no período da safra do país, que começa em fevereiro e março. No entanto, a carne mudou o seu patamar e não deve baixar muito. Em relação ao arroz, o economista-chefe da Farsul, Antônio da Luz, alerta para o risco do preço do alimento subir em 2020, devido a queda na produção, abaixo do consumo, embora não determine com exatidão a data que isso pode ocorrer.

O balanço de 2019 apresentado pela Farsul apresentou crescimento de 1,9% em área plantada em relação ao ano anterior, com destaques positivos para a soja (+2,4%), trigo (+6,4%) e milho (+8,2%), e negativo para o arroz (-8,1%). A produção gaúcha em 2019 atingiu alta de 4,7% com crescimento de 5,5% na soja e elevações de 25,7% no milho e 32,2% no trigo. O arroz mais uma vez registrou queda de 14,6% na produção, prejudicado pelas enchentes que atingiram o Estado.

O presidente da Farsul, Gedeão Pereira, descreveu 2019 como um ano interessante para o setor com crescimento da produção e da área plantada no Estado, apesar das enchentes que prejudicaram as lavouras da campanha e da fronteira oeste ainda no início do ano. Para o presidente, o ano de 2020 será mais positivo para o agro em razão do crescimento da demanda por alimentos, principalmente na China, além de haver muito otimismo em relação às pautas reformistas dos governos federal e estadual. Segundo Gedeão Pereira, o Brasil está mudando e se tornando mais favorável ao empreendedorismo. Sobre o momento político no Rio Grande do Sul, o presidente da Farsul entende todos estão descontentes, ou por receber salários parcelados, ou no setor privada pela elevada carga tributária. Pereira ainda se posicionou a favor do pacote de Eduardo Leite, que altera a carreira do funcionalismo, e também afirmou ser favorável ao orçamento realista aprovado pelos deputados, sem aumento de repasses aos outros poderes. Para o presidente, não apenas uma parte da sociedade deveria sofrer o ônus da dificuldade financeira do Estado, referindo-se ao fato dos poderes legislativo e judiciário não receberem seus salários parcelados.

Sobre a questão do status sanitário do Estado relacionado a retirada da vacinação do rebanho gaúcho, o presidente da Farsul ressaltou que há prós e contras e que a entidade não tem posicionamento. No entanto, ele informou que os sindicatos e produtores rurais vão decidir em Assembleia qual a posição sobre a vacinação. Uma das principais demandas do Sistema Farsul, de acordo com Gedeão Pereira, é a oferta de crédito rural, que está defasado e cujo modelo não supre a demanda dos produtores. Embora o oferecimento do crédito tenha crescido 3,1% em 2019, a queda no número de acessos de produtores foi de 8,1%.

Em relação a conjuntura do Brasil e do Rio Grande do Sul para 2019-2020, a expectativa da Farsul é otimista, baseada nas reformas que devem ser realizadas pelos governos estadual e federal. Segundo a assessoria econômica da entidade, o PIB do país deve crescer o dobro no ano que vem: 2,51%, frente a elevação de 1,16% em 2019. Enquanto isso, o Rio Grande do Sul deve ter desaceleração no crescimento. A Farsul projeta que em 2019 a alta do PIB gaúcho deve ser de 3,14%, contra 2,53% em 2020. A agropecuária no Estado também deve desacelerar, conforme a federação. A projeção neste ano é de elevação de 8,64% e para 2020 será de 7,46%.

Compartilhar
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
Fonte: Rádio Progresso de Ijuí

Acompanhe nas Redes

by @TwitterDev
error: Conteúdo protegido!