Busca rápidaX

MANCHETES

Formando faz performance de salto alto e dança Pabllo Vittar durante colação de grau

10 de fevereiro de 2020
Formando dançou música Parabéns da cantora Pabllo Vittar — Foto: Arquivo Pessoal

No dia 3 de fevereiro a colação de grau do curso de Relações Internacionais da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS) teve uma apresentação surpresa. Ao ser chamado para receber o diploma com a música “Parabéns” de Pabllo Vittar, Eduardo Rius fez uma breve performance ao público.

Usando salto alto e um short dourado por baixo da toga, o Internacionalista fez uma apresentação coreografada.

“Tinha pensado em fazer alguma coisa na entrada da minha formatura e tinha visto alguns vídeos na internet, o pessoal dançando, fazendo performances e tal. Inclusive vi um menino que dançou o movimento da sanfoninha, da Anitta e pensei que queria fazer uma coisa parecida. Tive a ideia de pegar a música ‘Parabéns’ da Pabllo e montar uma performance”, conta Rius.

Ele afirma que a performance foi um ato político e uma oportunidade de mostrar a representatividade LGBT nos espaços. Segundo Eduardo, a sociedade obrigou por muito tempo a comunidade LGBT a se “esconder nos armários”, e o objetivo dele era levar a diversidade para o momento da colação de grau.

“Não se trata de querer aparecer e de querer chamar likes. Tem muitos espaços na sociedade que sempre nos foram negados, isso é a gente poder se expressar um pouquinho, em algum espaço que estamos começando a conquistar aos poucos com maior diversidade e inclusão”, destaca Rius.

Para ele, ainda há alguns setores da academia que são homofóbicos, mas também há um movimento que está tornando as universidades um ambiente mais plural.

“E eu acredito que ter feito isso na colação de grau, é a gente possibilitar uma visibilidade maior para a comunidade.”

Natural de Ibirubá, no Nordeste do estado, Rius tem 23 anos e mora há seis em Porto Alegre. Ele conta que sempre teve apreço pela dança e que na época de colégio fazia cover do cantor americano Michael Jackson.

“Resolvi juntar essa paixão que eu tenho, que é a dança, e colocar junto na entrada da formatura. Fiquei super nervoso antes de chamarem meu nome, o coração quase saiu pela boca”, diz.

O momento foi acompanhado de muitos aplausos e gritos pelo público presente no Salão de Atos da UFRGS. Rius temia que fosse vaiado, mas, segundo ele, tudo passou tão rápido que nem conseguiu ver a reação da platéia.

“Só percebi que muita gente aplaudiu. Meus amigos disseram que muita gente levantou. Não esperava uma reação assim do público e também não esperava uma repercussão desse tamanho.”

Rius relata que assim como recebeu mensagens positivas, de pessoas dizendo que ele “arrasou e foi muito corajoso”, outras mensagens foram negativas, falando que ele nunca conseguiria emprego e que deveria ter perdido o diploma no momento da colação.

“Nessas horas que a gente vê a homofobia materializada. Na verdade, a lgbtfobia. Porque não é só nas gays que respinga, é em toda a comunidade. Então esse é um momento que a gente tentou buscar e levar essa representatividade para os espaços, demonstrar que gay não é só glitter e purpurina, que a gente existe, e que estamos ai para resistir sempre. Sempre em busca de uma sociedade mais justa para todo mundo”, finaliza Rius.

Compartilhar
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
Fonte: G1

Acompanhe nas Redes

by @TwitterDev
error: Conteúdo protegido!