Busca rápidaX

Grupo armado ataca três agências bancárias e fere jovens em Butiá

6 de janeiro de 2018
Criminosos efetuaram ataques com explosivos nas agências do Banco do Brasil e Banrisul em Butiá, na Região Carbonífera, por volta das 2h deste sábado (06). Na Caixa Econômica Federal também houve tentativa de explosão. Um grupo composto por 10 a 15 homens fortemente armados chegou à praça principal da cidade na madrugada, onde jovens costumam se encontrar. Com a chegada dos homens, quem lá estava tentou fugir, e os criminosos reagiram com tiros. Policiais em patrulhamento perceberam a confusão, e houve troca de tiros.

Pamela Flores da Silva, 23 anos, moradora que estava passando em um carro pelo local, acompanhada de uma amiga, foi atingida no joelho – a bala atravessou a porta do veículo. Ela foi encaminhada para o Hospital de Pronto Socorro de Porto Alegre. Mais um jovem foi ferido de raspão, sendo tratado no Hospital Municipal de Butiá e logo liberado.

As primeiras explosões foram realizadas no Banco do Brasil. Como havia uma mecanismo de segurança que jorra tinta sobre as cédulas de dinheiro dos caixas arrombados, os criminosos desistiram da ação no local e rumaram para o Banrisul. Eles também tentaram arrombar a agência da Caixa Econômica Federal, sem sucesso por conta do dispositivo de segurança do local. Não há confirmação se o grupo conseguiu levar qualquer quantia das três agências. Conforme a Brigada Militar, os homens fugiram em um Air Cross preto, um Jipe Renegade preto, um Gol e uma moto. 

– Estávamos fazendo patrulhamento de rotina e percebemos que estava ocorrendo uma confusão na praça, ao lado do Banco do Brasil. Quando chegamos fomos recebidos a tiros. Nos abrigamos e buscamos as armas longas para confrontar e pedimos apoio. Foram 10 minutos de trocas de tiros. Eles agiam com calma, como se estivesse trabalhando – disse o soldado Felipe Adolfo.

Felipe estava com o soldado Paulo Fabiano da Fonseca. Eles eram os únicos policiais fazendo o patrulhamento na cidade no momento dos ataques. 

Depois que a troca de tiros começou, moradores e policiais se abrigaram no posto da Brigada Militar. A sede apresenta pelo menos dez marcas de tiros, e um soldado foi atingido por estilhaços. A polícia, com apoio de guarnições de outras cidades e de parte do efetivo que estava em folga, atua nas buscas pelos assaltantes em uma área rural próxima a Butiá. Segundo a polícia, não houve reféns.

Compartilhar
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
error: Conteúdo protegido!