Busca rápidaX

Homicídios no Estado registram os menores índices desde 2007

14 de janeiro de 2021

O Rio Grande do Sul manteve a curva de queda nos indicadores criminais em 2020. Nos homicídios, o resultado foi o menor dos últimos 13 anos. O Estado encerrou o ano com 1.694 homicídios, que representa 6,5% a menos do que em 2019, quando foram 1.811 assassinatos no Estado. Ao considerar os dois anos de gestão de Eduardo Leite, foram 1.343 vidas preservadas em todos os crimes contra a vida dos gaúchos, o que equivale a uma redução de 28,9% no período. Os dados foram divulgados pelo vice-governador Ranolfo Vieira Júnior em uma videoconferência na manhã desta quinta-feira (14). O Governo do Estado explica a queda nos crimes a partir das medidas implementadas em 2019 com o programa RS Seguro que priorizou as regiões do Estado com mais ocorrências. Para o vice-governador, o balanço anual positivo na área da segurança pública destaca que o Poder Executivo está no caminho certo e também mostra a importância da atuação dos agentes e operadores da segurança pública no combate ao crime.

Em 2020, o Rio Grande do Sul fechou com uma taxa de 14,8 homicídios a cada 100 mil habitantes, enquanto em 2019 essa taxa foi de 15,9. Em relação a 2018, a redução neste indicador é de 29%, quando a taxa era de 20,9. Este é o menor índice desde 2010. Quando comparado a 2017, cuja taxa atingiu o pico da década, com 26,4 assassinatos a cada 100 mil gaúchos, a queda de 2020 chega a 44%. A população gaúcha estimada em 2020 é de quase 11,5 milhões. Nos latrocínios, o resultado é o menor da série histórica, desde 2002. Foram 62 ocorrências em 2020, queda de 7,5% em relação ao ano retrasado. A redução sobre para 31,9% na comparação com 2018, quando foram 91 latrocínios.

Em relação aos feminicídios, a queda em 2020 foi de 21,6% na comparação com 2019. 76 mulheres perderam a vida por motivos de gênero no Estado no ano passado, o menor número desde 2014, quando foram 75 vítimas. A retração neste indicador chega a 34,5% na comparação com 2018, quando os casos atingiram o pico de 116 assassinatos de mulheres no Estado. Nos demais crimes contra a mulher, está o único indicador divulgado pelo governo que teve elevação em 2020. Trata-se do estupro, que teve 1.863 ocorrências em 2020, aumento de 8,7% em relação a 2019, quando foram 1.714 crimes deste tipo. A tentativa de feminicídio apresentou em 2020 queda de 4,5%, com 343 casos contra 359 no ano anterior. Lesão corporal contra mulheres caiu 10% em 2020, com 18.885 ocorrências, e ameaças tiveram redução de 11,3%, com 33.171 registros contra 37.381 em 2019.

Nos crimes patrimoniais, o destaque é para o roubo de veículos que também apresentou o melhor resultado da série histórica, desde 2002, com redução em 2020 de 29,2% em comparação ao ano anterior e queda de 51,1% em relação a 2018. Foram 7.877 veículos roubados ao longo do ano passado no Rio Grande do Sul. Nos dois anos de Governo Leite, são 13.241 veículos roubados a menos, indicador que impacta na economia para os gaúchos, especialmente na hora de contratar o seguro para o seu carro. Em ataques a banco, mais uma vez o resultado é o menor da série histórica, contabilizada desde 2012, com apenas 49 ocorrências em 2020, uma queda de 55,5% em relação a 2019, quando foram 110 casos, e redução de 74,5% na comparação com 2018, quando foram 192 ataques a bancos em território gaúcho.

Na Capital Gaúcha, a taxa de homicídios por 100 mil habitantes em 2020 caiu para 17,6, uma queda de 51% em relação a 2018, quando o índice é de 36,2. No ano retrasado a taxa foi de 21,7. São as menores taxas dos últimos dez anos. Em 2020, Porto Alegre, cuja população chega a quase 1,5 milhão de pessoas, teve 262 vítimas assassinadas, uma redução 18,6% em relação ao ano anterior, quando foram 322 homicídios. O roubo de veículos na Capital atingiu o menor índice da série histórica, desde 2012. A redução foi de 29,7% em 2020, com 3.338 carros roubados no ano, contra 4.747 em 2019.

O Governador Eduardo Leite também participou do ato com a divulgação dos indicadores criminais e salientou a importância do aprimoramento no trabalho integrado das forças de segurança do Estado, que participam de reuniões do Programa RS Seguro e auxiliam nas decisões estratégicas. Questionado sobre o impacto do distanciamento social e da pandemia nos indicadores, Leite relembrou que a queda começou ainda em 2019 e salienta que os dados foram divulgados mês a mês, apresentando uma queda mesmo no momento em que as flexibilizações nas atividades econômicas começaram, a partir de julho. O Governador ainda chamou a atenção de que se a pandemia tivesse impacto na criminalidade haveria um maior número de Estados com redução de homicídios, no entanto, apenas cinco estados brasileiros tiveram retração neste indicador criminal.

Compartilhar
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
Fonte: Rádio Progresso de Ijuí/Foto: Gustavo Mansur/Palácio Piratini
error: Conteúdo protegido!