Busca rápidaX

MANCHETES

Ijuí tinha ritmo acelerado de geração de empregos antes da pandemia, mostra Caged

31 de julho de 2020

O município de Ijuí perdeu mais de 350 vagas formais de emprego no primeiro semestre do ano. É o que mostram os dados do Cadastro Geral de Emprego e Desemprego, o Caged, com dados do governo federal. De janeiro a junho, o número de demissões superou em 356 o número de contratações, segundo as informações do Caged. Neste cenário, o setor com mais perdas foi o comércio, que fechou 459 postos de trabalho formais no primeiro semestre do ano. No período, o mês de abril, que marcou o fechamento preventivo das empresas em virtude da Covid-19, teve a maior retração na empregabilidade em Ijuí. Foram 466 postos de trabalho fechados, com mais de 770 pessoas demitidas. Em maio houve novo saldo negativo, com 300 empregos formais fechados, sendo 127 vagas extintas somente no setor de serviços.

Por outro lado, o relatório do Caged sobre a empregabilidade formal em Ijuí no primeiro semestre do ano mostrou um ponto positivo. Isso porque nos três primeiros meses, até março, Ijuí registrou relevante crescimento no número de empregos formais criados. Em janeiro foram 110 novos postos de trabalho, em fevereiro 121 novos empregos e em março o saldo positivo foi de 174 vagas formais. Mesmo com a queda no setor econômico em virtude da pandemia, a economia de Ijuí já iniciou uma tímida recuperação da empregabilidade. No mês de junho, houve saldo positivo de 5 vagas entre demissões e contratações. Mesmo na pandemia, dois setores tiveram destaque em Ijuí. Na indústria houve saldo positivo de 67 vagas de trabalho formais nos primeiros seis meses. Já a construção civil teve criação de 44 novas vagas no período.

Compartilhar
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
Fonte: Rádio Progresso de Ijuí.

Acompanhe nas Redes

error: Conteúdo protegido!