Busca rápidaX

Incêndio no lixão deixa o ar 10 vezes mais poluído, em Ijuí

27 de janeiro de 2022

A fumaça proveniente do incêndio que atinge o antigo lixão municipal, na Linha 6 Leste, desde a última segunda-feira, 24, modificou a qualidade do ar de Ijuí. A constatação é dos pesquisadores alunos do Mestrado em Atenção Integral à Saúde da Unijuí, coordenados pelo Professor Doutor Tiago Heck, que desde o início do sinistro realizam pesquisas sobre a qualidade do ar no município. 

Em entrevista à Rádio Progresso, o professor explicou que na segunda-feira a avaliação constatou que os níveis de poluição do ar estavam um pouco acima do esperado, mas nada que desencadeasse preocupação. No entanto, na terça-feira, a pesquisa apontou que os níveis de poluição do ar estavam dez vezes maiores do que o adequado. 

“Realizamos análises no campus e no centro da cidade, com o objetivo de avaliar a qualidade do ar. No primeiro dia, não constatamos alterações significativas, já no segundo encontramos níveis de poluição dez vezes acima do esperado”, disse o professor. 

A boa notícia é que nesta quinta-feira, 27, a qualidade do ar já estava em níveis normais no centro da cidade, segundo nova pesquisa. “O centro da cidade está com nível adequado neste momento”, disse. As condições climáticas influenciam muito nesta melhora, segundo o professor, já que o vento altera o curso da fumaça e a chuva controla a proliferação. 

“O vento e garoa foram determinantes para o deslocamento das partículas, dispersadas na tarde de ontem. Quando tem pouco vento as partículas ficam concentradas”, disse. A dica do professor é para manter o uso de máscara, que além de proteger contra o coronavírus, ajuda a evitar a inalação de partículas poluentes.

Além disso, algumas orientações podem ser seguidas para que problemas respiratórios sejam evitados:

  • Fechar  as janelas e as portas da residência pode ajudar a reduzir a entrada de fumaça (e partículas inaláveis) no domicílio;
  • Aumentar a ingestão de água e líquidos;
  • Realizar a higiene nasal com soro fisiológico;
  • Manter o ambiente úmido, o que pode ser feito com o uso de umidificadores de ar, se possível;
  • Evitar a prática de exercícios e atividades de esforço físico intenso ao ar livre quando verificada existência de poluição do ar gerada por queimadas; 
  • Evitar atividades que possam aumentar a poluição do ar dentro de casa, como o uso de tabaco (cigarro), fogões à lenha e churrasqueiras;
  • O uso de máscaras de proteção do tipo N95 e PFF2, recomendadas para evitar contaminação por Covid-19, também fornece proteção contra a exposição a partículas de fumaça (outros tipos de máscaras também podem evitar a inalação de partículas, especialmente as partículas de maior tamanho); 
  • Utilizar o ar-condicionado na configuração de “recirculação” pode evitar a entrada de partículas do ambiente externo.

Fonte: Rádio Progresso de Ijuí
error: Conteúdo protegido!