Busca rápidaX

Inicia julgamento de acusado de praticar primeiro caso de feminicídio em Panambi

18 de novembro de 2019
Foto: Rádio Sulbrasileira

Iniciou na manhã desta segunda-feira (18),  o julgamento do homem acusado de matar a ex-companheira. Ele ocorre na Comarca de Panambi e deve se estender até o final do dia.

Douglas Vargas, 28 anos, é acusado de matar sua ex-companheira, Vanessa da Silva Santos, 21 anos, a facadas. O crime ocorreu no dia 19 de março de 2016 na casa onde o casal morava na Rua Passo Fundo, Bairro Pavão. 

Trata-se do primeiro caso registrado como feminicídio – homicídio praticado contra a mulher em decorrência de violência doméstica – em Panambi desde que a lei foi sancionada, em março de 2015. Relembre o caso.

O relacionamento

Em um relatório dos desembargadores da 3ª Câmara Criminal do Tribunal de Justiça do Estado, que mantiveram a decisão de realizar um júri popular, consta que o relacionamento entre Douglas e Vanessa era “conturbado”, marcado por discussões e agressões. 

Devido ao histórico de violência entre o casal, houve prévio de medidas protetivas contra Douglas, descrito por testemunhas como “agressivo”. Conforme uma testemunha, a jovem teria sido agredida diversas vezes pelo acusado. Ela teria guardado fotos das lesões que sofreu em seu celular. 

Partilha de bens pode ter motivado crime

De acordo com o documento do Tribunal de Justiça, é possível que o crime tenha sido motivado pela discussão pela partilha dos bens no processo de divórcio. No caso, a casa onde Douglas e Vanessa moravam juntos, na Rua Passo Fundo, localizado no Loteamento Sinemann, Bairro Pavão, onde a vítima foi morta.

Com base no depoimento das testemunhas ouvidas, Douglas, bancário na época, não aceitava o fato de que tinha sido retirado da casa após a ex-companheira obter uma medida protetiva. Teria afirmado que havia investido R$ 100 mil no imóvel e não o entregaria à Vanessa. 

Durante uma audiência, realizada um dia antes do crime, ficou decidido que Douglas poderia ir até a residência retirar um computador e um colchão no dia 19 de março de 2016, sábado. Vanessa foi orientada a deixar os objetos fora da residência e não ficar sozinha com Douglas.

O crime

Com base no depoimentos das testemunhas, Douglas teria chegado na residência com uma faca. Uma pessoa afirmou ter visto o acusado segurando a vítima pelos cabelos e a arrastando até o quarto do casal. Mais tarde, Vanessa seria encontrada esfaqueada no chão do cômodo, enquanto Douglas saiu da residência ferido e caiu no chão.

A jovem chegou a ser levada ao Pronto Socorro, mas morreu ao dar entrada. Ela possuía ferimentos em todo o corpo.

Já Douglas, que possuía um ferimento no pescoço, foi levado ao hospital por populares. Ele foi submetido à cirurgia e permaneceu internado por três dias na UTI do Hospital de Caridade de Ijuí. Tempos depois, ele seria preso e levado à Penitenciária Modulada de Ijuí. 

Em depoimento, Douglas alegou legítima defesa. Ele afirmou que, ao chegar a casa, Vanessa estava ao telefone com uma faca e ela teria o atacado. E que, durante a briga, teriam ido ao quarto, onde voltou a ser atacado e, em um certo momento, segurou a lâmina e ambos caíram no chão. Então, teria levantado a faca e atingiu a ex-companheira, mas não teria visto.

Compartilhar
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
Fonte: Rádio Sulbrasileira

Acompanhe nas Redes

by @TwitterDev
error: Conteúdo protegido!