Busca rápidaX

Iniciam preparações para “A Coxilha Vai à Escola” 2020 em Cruz Alta

9 de janeiro de 2020

A 3ª edição do projeto “A Coxilha Vai À Escola” já está sendo planejada para 2020 em Cruz Alta. Ontem (08) a Secretária Municipal de Cultura, Laura Durigon Ajala, e de Educação, Elizabeth Fontoura Dorneles, estiveram reunidas para discutir os primeiros pontos a serem desenvolvidos para o próximo ano letivo. Além dos estudantes da rede municipal, o projeto continuará atendendo também estudantes da rede estadual, com idades entre sete e dezessete anos.

O retorno positivo que o projeto trouxe dos alunos e da comunidade é o incentivo para que ele continue sendo desenvolvido e aperfeiçoado, conforme as palavras da Secretária Elizabeth. “Estamos muito felizes com o retorno que a comunidade, os alunos e os professores trouxeram do projeto. O fato de dois estudantes participantes dos núcleos terem se apresentado em 2019 no palco da “Coxilha Piá”, demonstra a qualidade do trabalho e da metodologia aplicada. Existe uma vontade de que “A Coxilha Vai À Escola” seja cada vez mais abrangente para as diferentes formas de arte. Educação e Cultura são áreas indissociáveis, por isso temos muito a agradecer à toda a equipe que tem se dedicado para a realização destas ações”, ressaltou.

As oficinas acontecem em quatro núcleos que reúnem as instituições de cada região, onde os alunos participam de oficinas de instrumentalização do violão, composição e canto. Além da prática da música, as atividades proporcionam o contato com a cultura gaúcha, utilizando seus aspectos como história e costumes na prática pedagógica. A música também tem um papel essencial no desenvolvimento de características psicomotoras, cognitivas e linguísticas, sendo fundamental ainda para o desenvolvimento socioafetivo da criança, na capacidade de desenvolver a criatividade, a sensibilidade, o ritmo, a imaginação, a concentração e a memória.

O projeto “A Coxilha Vai À Escola” visa também perpetuar a cultura, despertando novos talentos para o palco da Coxilha Nativista, que foi o primeiro festival a criar um espaço específico para os jovens talentos em 1984. Ali nascia a Coxilha Piá, que agregaria a Coxilha Piá Taludo, pioneira em proporcionar palco para crianças e adolescentes. Dali surgiram nomes que hoje são consagrados no cenário musical do Estado: Shana Müller, Ângelo Franco, Juliana Spanevello, Yamandu Costa, entre outros.

Compartilhar
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
Fonte: Secretaria de Cultura de Cruz Alta
error: Conteúdo protegido!