Busca rápidaX

Jogo termina em briga e homem é preso com arma escondida dentro de bola em Passo Fundo

30 de maio de 2019
Arma estava escondida dentro de uma bola de futebol. — Foto: Brigada Militar/Divulgação

A partida de futebol entre o Brasil de Farroupilha e o Gaúcho terminou em briga e com um jogador de preso, em Passo Fundo na tarde de quarta-feira (30). A Brigada Militar encontrou uma arma dentro de uma bola de futebol.

De acordo com a delegada Carolina Goulart, ao fim do jogo, durante uma confusão entre os dois times, um jogador do time de Farroupilha apareceu armado. A BM foi chamada e os jogadores passaram por uma revista. Dentro de uma bola de futebol, foi encontrada uma pistola. A polícia apreendeu ainda munições e uma faca.

“O motivo da briga foram as questões do jogo mesmo. Houve algumas injúrias raciais, dos dois lados, mas o motivo da briga não foi esse, foram questões técnicas do jogo. As injúrias raciais não serão investigadas porque as partes não representaram contra os acusados, são ocorrências sem representação, então bloqueia a atividade policial”, explicou a delegada.

Um dos jogadores do Farroupilha se identificou como dono da arma. Ele foi preso em flagrante por posse ilegal, pagou fiança e foi liberado. Em nota, o clube de Farroupilha informou que vai apurar internamente o caso, principalmente com relação ao atleta que se identificou como dono da arma. O clube reforçou que trabalha para que o fato seja esclarecido. Acrescentou que lamenta as ofensas racistas.

Leia as notas na íntegra:

Brasil de Farroupilha

A Sociedade Esportiva Recreativa e Cultural Brasil vem a público se posicionar sobre os fatos ocorridos após a partida realizada nesta tarde na cidade de Passo Fundo que terminou com a vitória do Brasil por 1×0.

Com relação as acusações de injúria racial reivindicada pelo atleta do S.C. Gaúcho, respeitamos, porém lamentamos e estranhamos que ela tenha sido atribuída a um atleta da nossa instituição poucos momentos após o também nosso atleta Darlan Noronha Lopes ter sido vitima de tal fato por parte de torcedores e de atletas do S.C. Gaúcho.

Dessa forma podemos afirmar que desconhecemos tal acusação com relação a atitude de nosso atleta, mas mesmo assim não iremos medir esforços para apurar e contribuir com a resolução deste fato.

Porém lamentamos veementemente as ofensas racistas recebidas pelo nosso atleta Darlan, e presenciadas por grande parte de seus colegas atletas e equipe técnica, fato este que nos entristece e de certa forma nos revolta.

Salientamos que somos uma entidade com mais de 80 anos de existência que sempre prezou por valorizar as diversidades, em nosso elenco de atletas temos o orgulho de contar com inúmeras etnias e até nacionalidades, até mesmo em questão de gênero somos referência, sendo a única equipe da Serra Gaúcha a disputar o Campeonato Gaúcho de Futebol Feminino.

Em tempo, também afirmamos que estamos apurando internamente as denúncias criminais contra o também atleta Luiz Carlos e nosso departamento jurídico está atento e atuante em ambos os casos para que os fatos sejam esclarecidos e a verdade e a transparência sejam apuradas para o bem das duas tradicionais agremiações do nosso interior.

Elenir Luiz Bonetto – Presidente

Nota do Gaúcho de Passo Fundo

A centenária história do Sport Clube Gaúcho foi construída por jogadores e torcedores de todas as raças, baseada na disciplina e no amor ao esporte, e, por isso, lamenta e repudia veementemente os fatos ocorridos após o término da partida contra a equipe do Brasil de Farroupilha, na tarde de ontem.

Qualquer ato discriminatório, vexatório ou situações de palavras depreciativas relacionadas à cor ou raça, como o ocorrido com o atleta do Sport Clube Gaúcho após o término da partida são inadmissíveis e merecem a nossa reprovabilidade.

Em relação ao fato da apreensão de arma de fogo com o atleta da equipe do Brasil de Farroupilha, esperamos que o Poder Judiciário, a Federação Gaúcha de Futebol e o Tribunal de Justiça Desportiva atuem de forma severa, uma vez que não mais se pode admitir nos dias atuais qualquer forma de ameaça ou intimidação. Isto é inadmissível.

Por fim, o Sport Clube Gaúcho prestará total apoio ao atleta Erick, mantendo a sua posição de repúdio a qualquer manifestação de cunho preconceituoso, reafirmando a sua total confiança no Poder Judiciário, na Federação Gaúcha de Futebol e no Tribunal de Justiça Desportiva.

Augusto Ghion Junior – Presidente S.C. Gaúcho

Compartilhar
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
Fonte: G1
error: Conteúdo protegido!