Busca rápidaX

Legislativo de Ijuí aprova redução de CCs na prefeitura e reajuste do piso do magistério municipal

12 de janeiro de 2017
Os seis projetos colocados em pauta na sessão extraordinária da Câmara de Vereadores de Ijuí, realizada hoje pela manhã, foram aprovados. Eles tratavam da reposição salarial de 11,28% retroativo a 2016 dos inativos e pensionistas da prefeitura, cuja existe ação judicial em andamento. Também do reajuste para servidores que ocupam cargos em comissão.

Ainda foi aprovada redução dos CCs da prefeitura, que passa de mais de 160 para 131. Também foi aprovado reajuste dos vencimentos dos professores da rede municipal de ensino, para ficar em consonância com o piso salarial nacional. Com exceção do projeto do piso salarial nacional dos professores, aprovado por unanimidade, os outros tiveram nove votos favoráveis e quatro contrários.
 
A reestruturação administrativa da prefeitura foi o ponto principal dos debates na sessão extraordinária realizada hoje pelo Legislativo ijuiense. Os vereadores que votaram contrários as matérias, César Busnelo, Andrei Cossetin, Adalberto Noronha e Jéferson Dalla Rosa, se pronunciaram a respeito. Para Busnelo, o projeto tem vários vícios. Destacou que esperava bem mais cortes de Cargos em Comissão.

Andrei Cossetin disse causar estranheza as matérias, pois nem poderiam ser pedido vistas para análise mais aprofundada. Frisou ser necessária a colocação do impacto financeiro por parte da prefeitura, com os cortes. Jéferson Dalla Rosa afirmou não ser contra CCs, porém não teve tempo de analisar os projetos devido a rapidez com que entrou no Legislativo. Adalberto Noronha salientou que essas matérias podem sofrer futuros apontamentos do Tribunal de Contas do Estado.
 
Alguns dos vereadores que votaram favoráveis aos projetos da reestruturação administrativa da prefeitura de Ijuí, também se pronunciam no encontro extraordinário do Legislativo de hoje. Rubem Jagmin destacou que o número de CCs em 1996 era praticamente o mesma de agora com a aprovação da reestruturação. Porém, agora a estrutura do Executivo é bem maior.

Marcos Barrichello salientou que possíveis correções nas matérias podem ser feitas posteriormente. Darci Pretto da Silva falou que os projetos eram totalmente legais do ponto de vista jurídico. Enfatizou que o estudo do impacto financeiro só é necessário quando existe aumento dos cargos em comissão, o que não foi o caso. Na sessão extraordinária de hoje da Câmara de Ijuí, apenas o vereador Junior Piaia não participou, devido a compromissos particulares.

Compartilhar
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
error: Conteúdo protegido!