Busca rápidaX

MANCHETES

Mais 500 domicílios são visitados em Ijuí através de pesquisa que mapeia avanço do coronavírus no estado

28 de abril de 2020

No último fim de semana, dias 25 e 26, uma equipe de pesquisa da Unijuí esteve a campo para dar continuidade ao estudo sobre o avanço do Coronavírus no Rio Grande do Sul, quando aconteceu a segunda etapa do estudo. O resultado oficial será divulgado pelo Governo do Estado durante esta semana. 

Mais 500 domicílios foram visitados em todas as regiões da cidade de Ijuí, quando foi aplicado um teste por família, por meio de sorteio, além de questionário para o levantamento de dados complementares ao trabalho. Os resultados desta segunda etapa serão divulgados primeiramente pelo Governo Estadual e pela Universidade Federal de Pelotas, que coordenam a pesquisa.

Uma equipe de 26 pesquisadores voluntários, estudantes ligados aos cursos da área da Saúde, orientados por professores da Unijuí (DCVida) e pelo Instituto de Pesquisa e Opinião de Pelotas, realizaram as visitas. Todos os participantes foram testados na sexta-feira (24) antes da ida a campo do fim de semana.
Para esta rodada, ainda, os pesquisadores ganharam um reforço de segurança, por meio de doação da Criatec e empresa incubada Doled, que produziu máscaras de acrílico, as face shields. Segundo a professora Evelise Berlezi, que coordena as atividades em Ijuí, tudo transcorreu normalmente. 

A pesquisa é uma iniciativa da Secretaria de Saúde do RS, da Vigilância Epidemiológica e do Governo do Estado do Rio Grande do Sul, em parceria com universidades gaúchas. O estudo será realizado em Pelotas, Santa Maria, Uruguaiana, Ijuí, Passo Fundo, Caxias do Sul, Santa Cruz do Sul, Lajeado e Grande Porto Alegre simultaneamente, com a coordenação da UFPel. Trata-se de um estudo inédito, a partir de amostragens epidemiológicas sequenciais, e que permitirá identificar a prevalência da doença por regiões, o contingente de pessoas atingidas pelo novo coronavírus, mas que não apresentam sintomas e projetar a incidência de casos mais graves e até o grau de letalidade da doença. Os professores envolvidos neste estudo pela Unijuí são: Evelise Berlezi, Matias Frizzo, Lígia Franz, Thiago Heck do Mestrado em Atenção Integral à Saúde e Carlos François, do curso de Medicina.

Compartilhar
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
Fonte: Unijuí/ Rádio Progresso de Ijuí