Busca rápidaX

MANCHETES

Mattana sobre o título do Interior: “Capitão Thiago Costa me ligou para dividir o prêmio da conquista comigo”

25 de abril de 2020

O grupo do São Luiz em 2013, campeão do interior na temporada citada, era recheado de garotos oriundos da base do clube. A reportagem já citou Daniel Nicoletti e Elias. Hoje é a vez do atacante Gabriel Mattana que relatou alguns momentos daquele elenco.

“Foi um dos melhores momentos na minha carreira, onde um grupo se abraçou e conseguia vencer as partidas que pareciam impossíveis. Lembro bem que no dia da apresentação estava vendo os atletas que estavam prontos para iniciar e pensava comigo “esse vai ser um gauchão excepcional, tanto pelas qualidades do grupo em geral como na parte de ataque onde eu atuo”.

Sempre assistia Eraldo, Juba, Marcos Paraná e cia, e eu estando com eles já era fantástico, mal sabia do que eu estava por vir. O ambiente de vestiário sempre foi descontraído, até para nós que subimos para o profissional. Neste pique de humor no dia 18 de fevereiro eu não escapei, dia do meu aniversário, fui banhado com farinha, ovos, ketchup, água gelada, gelo.

Foi um momento que percebi que fui abraçado ao grupo, pois estavam todos presentes, dificilmente víamos alguém de lado. A concorrência era muito grande no ataque, ainda mais quando o time não perdia. Atuei nos 2 amistosos da pré temporada, mas na competição tínhamos que respeitar a hierarquia do nosso artilheiro Eraldo e do nosso inteligente e veloz Juba.

Jogo que mais me marcou foi da nossa vitória contra o Caxias na semifinal onde vencemos de 2 a 1, eu estava na arquibancada vendo e torcendo como nunca tinha torcido. Quando o jogo estava acabando eu desci no vestiário, fiquei na boca no túnel e quando o árbitro deu o apito final eu me lembro como se fosse ontem, todos correndo como se tivesse fugindo de alguém e abraçando, subindo no alambrado. Meu pai que na época trabalhava no marketing do clube acabou tomando um banho de água gelada. Este foi o momento onde senti que estávamos em uma só conexão, torcida, diretoria, jogadores, gauchão e resultados. Creio que se tivéssemos disputando outra competição como copa do Brasil ou campeonato Brasileiro com toda certeza teríamos grandes resultados, pois sabíamos que iríamos vencer.

Perdemos na final em casa para a grande equipe do Internacional, com Forlan, Damião, D’alessandro e companhia. Ficamos um pouco abatido com a derrota, pelo placar que foi..até hj não saberíamos explicar, se foi pelo gramado encharcado ou pela ansiedade da partida.

Retornando as atividades de treinamento e com o vice campeonato do primeiro turno eu tive uma proposta do Lajeadense. Onde conversei com a diretoria e acabei encarando o desafio. Na mesma semana eu já estava estreitando com a camisa do lajeadense contra o Grêmio sub-20 dentro do Estádio Olímpico, antigo estádio do Grêmio. Empatamos o jogo, mesmo sem conhecer muito bem os companheiros.

Tempo passou e o São Luiz acabou consagrando campeão do interior, eu jogando no Lajeadense e torcendo pelo São Luiz, foi estranho.

Lembro que uma manhã bem cedo recebi uma ligação no celular, atendi e era o nosso capitão; Thiago Costa, sempre com uma facilidade tremenda de cativar as pessoas me disse;

  • E aí Juvenil como tá as coisas aí? To acompanhando seus jogos! Olha só, estou te ligando para te avisar que iremos dividir o prêmio da conquista do interior contigo!”

-Eu questionei : “Mas Thiago, eu não entrei em nenhuma partida.”

-Ele convicto me falou que só tinha ligado pra me avisar, pois ele já tinha procurado o meu pai em Ijuí e entregado para ele.

Fiquei sem palavras e o agradeci, pois nem todos fariam isto, até pq não é sempre que se vence. Momentos que jamais esquecerei”.

Compartilhar
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
Fonte: Foto: Diário da Manhã/Pelotas