Busca rápidaX

Médico condenado por suposta cobrança de consultas pelo SUS diz que entrou de “gaiato” no processo

3 de agosto de 2019
Foto: imagem ilustrativa

O Deputado Federal e Médico Darcísio Perondi, e outras nove pessoas, foram condenadas em segunda instância por um suposto esquema ilegal de cobrança de honorários de pacientes atendidos pelo Sistema Único de Saúde (SUS), no Hospital de Caridade de Ijuí, em 2002.

Além de Perondi a condenação envolve os médicos; João Antônio da Silva Stucky, Fernando Vargas Bueno, Élvio Gonçalves Silveira, Bruno Wayhs, Áureo Paulo Zimmermann, Armindo Pydd, Adônis Dei Ricardi, Francisco Coutinho Kubaski e o administrador do hospital na época Edemar Paula da Costa.

A reportagem da Rádio Progresso tentou contato com o advogado que defende o grupo no processo, mas, até o momento não obteve respostas.

O Médico Fernando Vargas Bueno foi o único que conversou com a reportagem da RPI. Segundo o médico, recai contra ele no processo, uma chamada médica de R$100 cobrado, pois a prefeitura de Catuípe não mantinha convênio com o HCI a época. Fernando Vargas Bueno disse que atua há 19 anos na medicina em Ijuí e entrou de “gaiato” neste navio. O doutor preferiu não comentar a situação de seus colegas de profissão.

O Jornalismo da RPI continuará tentando contato com os profissionais a cerca do tema.

Compartilhar
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
Fonte: Rádio Progresso de Ijuí

Acompanhe nas Redes

by @TwitterDev
error: Conteúdo protegido!