Busca rápidaX

MANCHETES

“Não é da índole do Guarany, deixar um profissional desamparado”, diz presidente do clube Tato Moreira

26 de maio de 2020

Com a paralisação do futebol, dirigentes dos clubes do interior do RS tem procurado achar solução para manter as contas em dia. O Guarany de Bagé é um desses clubes que suspendeu contratos dos jogadores e comissão.

Suspendemos todos os contratos, ainda tínhamos um saldo para pagar do mês de março e assim fizemos, não seria a hora de tentar fazer uma rescisão com atletas, como alguns clubes estão fazendo em deixar jogadores desamparados neste momento, o Guarany nunca faria isso com o grupo, sabemos que todos são pai de família e a gente sabe que já está muito difícil trabalhar no Brasil hoje em dia quando se consegue um emprego, antes da pandemia já era difícil e agora muito mais e deixar desamparado o profissional não é da índole do Guarany. O clube encaminhou de todos os jogadores e comissão técnica e espera agora saber o que vai acontecer em relação ao campeonato”, destacou o presidente do clube, Tato Moreira.

O mandatário afirmou que o clube teve queda de 100% nas receitas. “Tivemos uma queda de 100%, muito triste isso. Uma situação que todo mundo fala em ajudar o próximo, teve um desamparo muito grande em relação a patrocinadores, em nível de sócios que já são poucos, sabemos que um clube do interior tem que ter muita superação para fazer futebol. A gente vem da terceira divisão com muita dificuldade, e ficou muito difícil continuar tocando o clube”, bradou Moreira.

O presidente do Guarany também salientou que assim que a divisão de acesso for retomada, o clube estará pronto para voltar a disputa. “Vamos jogar a competição quando for retomada, temos a intenção de ascender a série A, estamos trabalhando para isso e com todas as dificuldades estamos há 3 pontos do líder e dentro da zona de classificação, quando a competição for retomada, que eu acho que não será em agosto, temos 2 meses para acontecer tudo ou para nada acontecer, inclusive vamos temos que passar ainda pelo inverno, acredito que competição deva retornar em setembro. Depois dessa pandemia nosso modo de vida não será mais o mesmo, estaremos sempre com o pé atrás. Enquanto este inimigo invisível não for detectado onde ele se esconde, as coisas vão mudar e com portões abertos ou fechados, o Guarany vai jogar a sequência da competição. O Guarany sempre jogou as competições da FGF e não seria numa situação de jogar com portões fechados que não iríamos atuar. O Guarany joga e joga para chegar nas finais do campeonato”, finalizou o presidente Tato Moreira durante entrevista para a reportagem da Rádio Progresso de Ijuí.

Compartilhar
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
Fonte: Rádio Progresso de Ijuí/Foto: Divulgação
error: Conteúdo protegido!