Busca rápidaX

MANCHETES

No topo da lista: Hospital de Caridade de Ijuí (HCI) busca acordo para sanar dívida milionária com o Demei

25 de agosto de 2021
Hospital de Caridade de Ijuí. Foto: assessoria de imprensa

No topo da lista dos grandes devedores do Departamento Municipal de Energia de Ijuí (Demei) aparece o Hospital de Caridade (HCI). O valor, R$1,3milhões segundo o Diretor-Presidente da autarquia municipal Marco Aurélio Sikacz. Em entrevista à Rádio Progresso o presidente disse que as duas entidades estão buscando um acordo para sanar essa dívida. ‘Eu não posso e nem vou cortar a luz do Hospital’, pontuou o presidente. Uma reunião entre as partes ocorreu nesta semana para tentar achar uma solução para o problema que transcorre a tempos. ‘Preciso dizer que o HCI está querendo acertar esse valor e nós precisamos receber, certamente vamos entrar num acordo’, disse.

O Hospital de Caridade de Ijuí se manifestou por meio de nota sobre o tema onde confirma as tratativas para o pagamento dos débitos e propõe, a troca de serviços de saúde com o município de Ijuí para a quitação deste passivo. 

Confira a nota:

As diretorias do Hospital de Caridade de Ijuí (HCI) e do Demei reuniram-se na noite de terça-feira para negociações do pagamento da dívida passada da instituição de Saúde com a autarquia, em energia elétrica. Do encontro, ficou definida a elaboração de um acordo para que o HCI salde o passivo, deixando de pagar multas e juros que oneram ainda mais o caixa da instituição. Para isso, será estudada pela autarquia e a prefeitura a criação de um projeto de lei que facilite essa negociação, já que hoje as possibilidades oferecidas pelo Demei são engessadas e não se aplicam ao Hospital.

“A reunião foi muito produtiva e dentro daquilo que é nossa missão de fazermos uma gestão transparente e responsável, justificamos a situação, demonstramos tudo que está sendo feito no HCI, explicamos nossos posicionamentos e as novas ações, desde a pesquisa e ensino, a renegociação com todo o corpo clínico e o reajuste de profissionais na Saúde e funcionários, adequando a casa em si, e os deixamos mais tranquilos, porque realmente o Hospital está no prumo, no caminho. Fizemos um compromisso de que as contas a vencer serão priorizadas e pagas rigorosamente em dia, e os atrasados, que geram em torno de R$ 1,2 milhão, conversaremos um meio de negociá-los. Logicamente, se não há entrada, não há saída, ou seja, o Hospital também é uma empresa que presta serviços e recebe 90 dias depois, então, é preciso que haja fluxo. Iremos novamente nos reunir com o Demei, a prefeitura e envolveremos os vereadores para fazermos outra venda de serviços ao Município, que precisa de exames e consultas, e nós temos a oferecer. Esse recurso faríamos um acordo para repassá-lo 100% ao Demei para o pagamento de dívidas antigas. Tudo é negociação que virá pela frente, mas ficou bem encaminhado”, explica o segundo tesoureiro do Hospital de Caridade de Ijuí (HCI), Carlos Alberto Scpani.

Compartilhar
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
Fonte: Rádio Progresso de Ijuí
error: Conteúdo protegido!