Busca rápidaX

MANCHETES

Novo presidente da Fecoergs aposta em ampliação de usinas na região de Ijuí

9 de abril de 2018

A Federação das Cooperativas de Eletrificação Rural do Rio Grande do Sul – Fecoergs – trabalha para ampliar a produção e distribuição de energia elétrica. Durante entrevista hoje pela manhã na Progresso, o novo presidente da Fecoergs, Iloir de Pauli, que também preside a Ceriluz, disse que nos últimos anos, oito cooperativas assinaram contrato para serem permissionárias de energia.

Nesse ano, outras cinco devem assinar o mesmo documento. Iloir de Pauli ainda acrescentou que a Ceriluz projeta novos investimentos em usinas, através de parcerias. Ressaltou que existe estudo em conjunto com a Coprel, cooperativa sediada em Ibirubá, a fim de construir usina na Linha 11, em Ijuí. Para isso, foi reativado projeto antigo e a expectativa é que até julho próximo a Fepam libere a licença no segmento ambiental. Por parte da Agência Nacional de Energia Elétrica já existe autorização. Para o segundo semestre deste ano ou início de 2019, Ceriluz e Coprel querem obter a licença de instalação.

Por outro lado, Iloir de Pauli acrescentou que em conjunto com uma cooperativa de Erechim, Ceriluz e Coprel devem iniciar em maio ou junho deste ano a
produção de energia numa usina no município de Maximiliano de Almeida, total de 13 megawatz. As duas cooperativas de eletrificação rural da região ainda vão implantar usina no rio Ijuizinho, em Boa Vista do Cadeado.

Para isso, já houve aprovação ambiental da Fepam. A Ceriluz implantará pelo menos um gerador na rede da Coprel e outro na rede da RGE, que já fornecem luz na região de Boa Vista do Cadeado. Com esses equipamentos, a energia pode ser repassada pelas redes já existentes. O objetivo é produzir 5 megawatz de energia elétrica.

Além disso, na mesma entrevista na RPI, nesta manhã, Iloir de Pauli frisou que Ceriluz, Coprel e uma empresa de Santa Catarina efetuaram estudo sobre possibilidade de novas usinas no rio Ijuí, da Linha 11 até a usina São João, nas Missões. Nesse sentido, foi verificado que existe viabilidade de produzir mais 40 megawatz de energia.

Compartilhar
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
error: Conteúdo protegido!