Busca rápidaX

MANCHETES

Número de homicídios no primeiro semestre no RS é o menor desde 2011

9 de julho de 2020

A Secretaria de Segurança Pública do Estado divulgou na manhã desta quinta-feira (09) os indicadores de criminalidade do mês de junho e o acumulado do primeiro semestre de 2020. Mais uma vez os dados indicam queda em diversos crimes, como homicídios. Nos primeiros seis meses do ano, foram registradas 901 mortes no Rio Grande do Sul, uma queda de 8,7% em relação ao ano passado (987). É o menor número desde 2011, quando foram 870 mortes. No recorte apenas do mês de junho, a redução de homicídios é ainda mais acentuada. O total de vítimas caiu de 160 para 125, queda de 21,9%. Entre esses 125 óbitos em junho no RS, 16 foram de presos que tiveram liberdade concedida pelo Judiciário: 12,8% do total. Caso essas mortes não tivessem ocorrido, a retração nos homicídios frente a junho do ano passado teria sido ainda maior, de 31,9%. As libertações ocorrem durante a vigência da recomendação nº 62 do Conselho Nacional de Justiça, que “recomenda aos tribunais e magistrados a adoção de medidas preventivas à propagação da infecção pelo novo coronavírus (Covid-19) no âmbito dos sistemas de justiça penal e socioeducativo”. Desde março, chega a 56 o número de detentos soltos e que acabaram assassinados, 47,4% acima dos 38 mortos após soltura no mesmo período de 2019. Latrocínio, roubo com morte, também apresentaram redução nos indicadores. Foram 34 ocorrências entre janeiro e junho no Estado, o melhor resultado da década. Na série histórica, 2020 fica atrás apenas de 2009, quando foram 29 ocorrências. Em relação ao ano passado, a queda foi de 12,8%.

Outro destaque do semestre é o roubo de veículos. Embora tenha sido 4.850 ocorrências em 2020, o resultado é o menor nos últimos 17 anos. Em comparação com o primeiro semestre de 2019 a queda foi de 19,8%. O mês de junho, isoladamente, apresentou o menor índice histórico do roubo de veículos no RS. Foram apenas 663 ocorrências, 23% a menor que em junho do ano passado, quando foram registrados 864 roubos. A série histórica contabiliza crimes desde 2002. “A queda se deve, em primeiro lugar, ao foco dado pelo RS Seguro a este tipo de crime. Outro fator importante é o trabalho integrado e de inteligência das polícias, que permitiu a prisão de grupos criminosos que se especializaram nos últimos anos no roubo de veículos. Certamente a redução da circulação pela pandemia também teve impacto, mas é importante observarmos que em junho, já com o distanciamento controlado funcionando a pleno, o total de casos foi ainda menor do que em abril e maio, quando as restrições eram maiores”, comentou o comandante-geral da Brigada Militar, coronel Rodrigo Mohr Picon. A dimensão da queda nos roubos de veículos fica ainda mais clara quando é considerado o tamanho da frota no Estado. Nos últimos cinco anos, o total de carros, motos, ônibus e caminhões em circulação no RS cresceu de forma constante. A frota subiu 9% entre 2016 e 2020, passando de 6,4 milhões para 7 milhões, conforme levantamento do Departamento Estadual de Trânsito (DetranRS). De outro lado, o número de roubos seguiu o caminho inverso. Também entre 2016 e 2020, houve queda de 47%. Dessa forma, nesses cinco anos, a taxa de ocorrências na relação proporcional com a quantidade de veículos circulando nos primeiros seis meses do ano caiu 52%: passou de 144 roubos a cada 100 mil veículos para 69 a cada 100 mil.

O destaque negativo entre os indicadores do semestre é em relação aos feminicídios. Embora o assassinato de mulheres por motivos de gênero caíram 11,1% em junho, nos primeiros seis meses do ano, o acumulado é de 51 feminicídios, 10 a mais do que o ano passado, o que corresponde a um crescimento de 24,4%. Nos demais indicadores, o quadro é de queda. Ameaças (-13%), lesões corporais (-9,4%) e tentativas de feminicídio (-9,3%) reduziram na comparação entre janeiro e junho deste ano e do anterior. O número de estupros ficou estável (-0,8%).

Compartilhar
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
Fonte: Rádio Progresso de Ijuí