Busca rápidaX

MANCHETES

Órgãos de saúde da região se preparam para atuar frente ao novo coronavírus

27 de fevereiro de 2020
Médico infectologista Sérgio David Jaskulski Filho faz parte de Comitê formado pela 12ª Coordenadoria Regional de Saúde

Órgãos de saúde da região se preparam para agir de forma correta em casos de coronavírus. Por enquanto nenhum caso suspeito foi detectado na região, no entanto, profissionais já se habilitam para o caso de haver algum paciente infectado. No Hospital de Caridade de Ijuí, a orientação é seguir o protocolo enviado pelo Ministério da Saúde. Em caso suspeito, providenciar o isolamento.

Segundo informação divulgada ontem pelo governo estadual foram definidos dois grandes hospitais como referência para tratar casos graves do novo coronavírus no Rio Grande do Sul: o Hospital Conceição, na zona norte de Porto Alegre, e o Hospital Universitário de Canoas, na Região Metropolitana. As duas instituições receberão pacientes transferidos de todo o Estado para internação na Unidade de Tratamento Intensivo (UTI).  Caso a doença ganhe força ao longo do tempo, os estabelecimentos poderão se adaptar para se tornarem “hospitais de coronavírus”.

Segundo o médico infectologista, Sérgio David Jaskulski Filho, alguns coronavírus podem causar síndromes respiratórias graves, como a síndrome respiratória aguda grave que ficou conhecida pela sigla SARS. Esses casos serão encaminhados para os hospitais referidos na região metropolitana.

O especialista faz parte de um comitê formado pela 12ª Coordenadoria regional de saúde, que cobre municípios das Missões, para capacitar profissionais da área da saúde e discutir casos de coronavírus na região. As reuniões, segundo ele, acontecem semanalmente. Nos próximos dias serão capacitados médicos que trabalham nas Estratégias de Saúde da Família e nos hospitais da região.

 Sérgio afirma que o que difere o coronavírus de outras epidemias é que nessa situação é possível fazer a notificação dos casos suspeitos via online automaticamente. Isso facilita a atualização, por parte do Ministério da Saúde, de todos os casos que são monitorados no país.

Dados do Ministério, que são divulgadas nas reuniões, conforme o médico, dão conta de que entre as mortes de coronavírus no mundo, por faixa etária, 14% são de pessoas maiores de 80 anos. Apenas 1% dos óbitos são de menores de 49 anos. Os sintomas são febre, cansaço, tosse seca, dores, congestão e corrimento nasal, dor de garganta e diarreia.

Sérgio David Jaskulski Filho firma que a taxa de letalidade é pequena, em torno de 2%, em média. A preocupação maior é com idosos e pessoas que já possuem alguma doença, o que acarreta na diminuição da imunidade.

Compartilhar
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
Fonte: Rádio Progresso de Ijuí

Acompanhe nas Redes

by @TwitterDev
error: Conteúdo protegido!