Busca rápidaX

dsdsdss

MANCHETES

Champs Elysees

Otimista, Farsul admite alta expectativa por crescimento econômico e projeta alta de 3,4% na produção gaúcha

6 de dezembro de 2018

Nesta quinta-feira (06), a Federação da Agricultura do Estado do Rio Grande do Sul (Farsul) divulgou um balanço de 2018 e projetou 2019. Para o ano que vem, segundo o presidente da Farsul, Gedeão Pereira a expectativa é muito alta e há muito otimismo por parte do empresariado em relação ao futuro do país, a partir do dia 1º de janeiro de 2019. O dirigente afirma que a entidade espera uma recuperação econômica e para isso, argumenta que é necessário uma profunda reforma nas estruturas do país. Também muito otimista, a Farsul projeta um crescimento de 3,4% na produção do Rio Grande do Sul em 2019. Em relação a safra de 2018, a entidade aponta estabilidade, com crescimento de 0,7%. O dado é considerado positivo pois a safra anterior, de 2017, foi recorde com avanço de 12,54%, somando ao crescimento deste ano, o biênio registra elevação superior a 6,5%.

A partir dos dados apresentados pela Farsul, a Soja segue como um dos principais destaques, com projeção de aumento de 2,5% de área plantada e estimativa de 5,3% de crescimento na produção. Outro item em destaque é o trigo, que deve ter aumento de 31% de área plantada e crescimento de 17,5% na produção. Por outro lado, o arroz que já sofreu queda em 2018, deve ter menos espaço em 2019 segundo a Farsul. A projeção indica que a área planta do grão deve recuar 6,5% e a produção deve diminuir em 5,3%, o que significa menos de 8 milhões de toneladas de arroz, que devem ser produzidas no ano que vem.

Em relação a pecuária de leite, a Farsul admite que a crise foi intensa, e por isso cerca de um terço dos produtores desistiram do negócio. O fato fez com que a produção ficasse bastante concentrada e até registrou em 2018 um crescimento de 10% no faturamento após a elevação dos preços durante o ano. No faturamento geral da agricultura gaúcha, a estimativa da Farsul é de estabilidade para 2019. Enquanto a projeção deste ano aponta crescimento para 32,3 bilhões de reais, 3,6 bilhões a mais que 2017, no ano que vem, a Farsul espera um faturamento de 32,8 bilhões de reais.

A maior preocupação da Farsul, de acordo com o economista- chefe da entidade, Antônio da Luz, é taxa de câmbio do dólar. “Nós estamos plantando a safra mais cara da história. Disparado. A safra 2019 é de longe a safra mais cara que estamos plantando, muito por conta da influência da taxa de câmbio, que no momento do plantio está extremamente elevada. O que faz com que os preços, no plantio, também estejam elevados. O problema é que a gente não comercializa no plantio, a gente comercializa depois da colheita. E nós não sabemos quanto estará o cambio lá em abril, maio, junho. Esse é o grande medo que nós temos para 2019″, explica.

Compartilhar
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
Fonte: Rádio Progresso de Ijuí

Deixe seu comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Acompanhe nas Redes

by @TwitterDev
error: Conteúdo protegido !!!