Busca rápidaX

Pai mata filho de 1 ano e 8 meses à pauladas em Alegrete

17 de agosto de 2020
Delegado Valeriano Neto. Foto: Alegrete Tudo/reprodução

A criança de um ano e oito meses que deu entrada na Santa Casa de Alegrete, com vários hematomas pelo corpo e desacordado, não resistiu e faleceu por volta das 2h, desta segunda-feira(17). O menino, Márcio dos Anjos Jaques, estava na UTI.

De acordo com o relato do pai, de 19 anos, à polícia, o filho estava com os tios.O pai, responsável por ter levado a criança à Santa Casa, disse que trabalha no interior do município e a mãe do menino o teria abandonado.

Desta forma, a criança estava na casa de um tio, irmão do pai e com a cunhada do mesmo. O casal reside na Avenida Caverá, em Alegrete.

O homem declarou que foi para o interior na quinta-feira(13) e retornou no final da tarde de domingo. Quando chegou na casa, encontrou o filho com os hematomas pelo corpo e convulsionando. Ele disse que os dentes quebrados foi devido a tentativa de abrir a boca do menino para evitar que ele engolisse a língua.

O pai foi encaminhado à Delegacia de Polícia para realizar o registro da ocorrência. Além da Brigada Militar, a Assistente Social da  Santa Casa e o Conselho Tutelar também realizaram atendimento relacionado ao caso.

A prisão do pai, acusado:

Após um trabalho do Setor de Investigação da Polícia Civil, o pai da criança que morreu na madrugada desta segunda-feira(17) foi preso. O autor confesso, de 19 anos, foi ouvido pelos policiais civis na tarde de hoje. Ele foi localizado no bairro Olhos D’Água. Inicialmente tentou negar o crime, mas diante das evidencias e dos elementos apontados pelos policiais, acabou confessando e deu detalhes. Durante todo o depoimento, o autor do sexto homicídio de Alegrete no ano de 2020, estava calmo e tranquilo, segundo o Delegado Valeriano.

O laudo médico atestou que a criança de 1 ano e oito meses morreu de traumatismo craniano e hemorragia.

Após ouvir a confissão do autor no início desta tarde, o Delegado Valeriano concedeu uma entrevista à imprensa onde relatou detalhes como o autor confesso praticou o crime brutal e bárbaro em Alegrete.

Sem antecedentes criminais, o suspeito admitiu ao delegado que espancou o filho na noite de quinta-feira (13), com um pedaço de taquara atingiu a região da cabeça, braços e pernas da criança. Depois disso, foi para zona rural onde retornou para casa só no domingo (16). Quando chegou, em casa, encontrou a criança convulsionando, então procurou o hospital.

O delegado pediu a prisão preventiva do criminoso, conforme fez questão de frisar durante a coletiva. O suspeito admitiu ser usuário de álcool e em depoimento formal acompanhado de um advogado acabou confessando a autoria do crime. Segundo a Polícia Civil, que buscou informações com a equipe médica que atendeu o menino, se ele fosse atendido ainda na quinta, a vítima teria chances de sobreviver. Porém, os tios disseram que não tinham percebido que o menino estava com os dentes quebrados, apenas ouviram o choro quando o pai o espancou na quinta- feira (13), em um local conhecido como lenheira.

No depoimento do autor confesso do Crime dos Pinheiros, ele manteve a versão do motivo do assassinato.

Com prisão preventiva solicitada ao Ministério Público, o delegado terá 10 dias para concluir o inquérito policial, que segundo a autoridade policial está elucidado.

Na casa onde o Márcio dos Anjos Jaques, residia, também foi o local que os policiais civis realizaram a prisão dos acusados do 3° homicídio de Alegrete, neste ano.

Compartilhar
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
Fonte: Alegrete Tudo
error: Conteúdo protegido!